Clubes da Série B querem fatia maior por direitos internacionais do Brasileirão

"O documento já está pronto", garante presidente do Náutico

Foto: Marlon Costa / Pernambuco Press

A venda dos direitos internacionais está próxima de ser sacramentada, porém, a divisão não agrada aos clubes da Série B do Campeonato Brasileiro. A proposta gira em torno de US$ 40 milhões (cerca de R$ 209 milhões) fixos pelo tempo total de acordo (até 2023). A maior parcela deste montante vai ficar para os clubes da Série A, que ficão com 75% divididos para as vinte equipes; 20% vai para os times da Série B (que pode ter a transmissão também em edições futuras) e 5% para a Série C. No entanto, equipes da segunda divisão vão enviar um documento à CBF com solicitações e uma contraproposta do valor da venda dos direitos. A informação foi passada pelo presidente do Náutico, Edno Melo. O pedido é para aumentar para 25% do valor. Os da Série A ficariam com 70% e os da C manteriam seu percentual de 5%.

 

“O documento já está pronto. A gente deve entregar à CBF nesta semana, nos próximos dias. Nossos representantes, os presidentes do Paraná, do Botafogo-SP e do Avaí, vão ver a melhor logística para fazer isso. Eles propuseram 20% (para os clubes da Série B) e a gente está fazendo uma proposta de 25%”, afirmou.

Além disso, ainda de acordo com o presidente do Náutico, os clubes pedirão para que a CBF mantenha a competição com 38 datas. Também haverá um pedido de apoio financeiro para que as equipes consigam manter as contas em ordem, mesmo com a queda de receita. “De fato, não houve ajuda nenhuma. O que eles propuseram foi antecipar uma cota (de direitos de transmissão). Isso a gente não quer.”

Confira detalhes sobre a venda dos direitos internacionais do Brasileirão

Deixe seu comentário!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*