Confira detalhes sobre a venda dos direitos internacionais do Brasileirão

Proposta é de cerca de R$ 209 milhões; Clubes da Série A ficam com 75%

Na próxima sexta-feira, a Comissão Nacional de Clubes vai definir a venda dos direitos internacionais do Campeonato Brasileiro pelos próximos quatro anos. De acordo com informação do site Globoesporte, a proposta gira em torno de US$ 40 milhões (cerca de R$ 209 milhões) fixos pelo tempo total de acordo (até 2023). A maior parcela deste montante vai ficar para os clubes da Série A, que ficará com 75% divididos para as vinte equipes. 20% vai para os times da Série B (que pode ter a transmissão também em edições futuras) e 5% para a Série C. Presidente do Esporte Clube Bahia, Guilherme Bellintani é um dos responsáveis pela negociação na Comissão Nacional de Clubes.

 

Ainda segundo as informações, os clubes ainda tentam melhorar os valores em contraproposta. Dentro do valor total há variáveis de acordo com o que a empresa vencedora da concorrência interna conseguir vender mundo afora. Há previsão de percentual para clubes da Série B e também Série C. Estes moldes ainda estão sendo discutidos com as duas empresas favoritas. O Athletico-PR não quer participar da venda de direitos internacionais, inclusive, sequer participou da reunião sobre o tema. O presidente do Furacão, Mario Celso Petraglia, discorda dos valores apresentados.

A oferta ainda é considerada baixa (em cada ano de contrato, um clube da Série A receberia menos de R$ 3 milhões pela fatia que tem direito, de um total de cerca de R$ 8 milhões). Alguns clubes pontuaram que num primeiro momento mesmo o valor não sendo o ideal pode ser importante para a visibilidade dos clubes fora do país.

Mesmo com todas as indefinições de calendário, devido à pandemia do coronavírus, os clubes manifestam que as 38 rodadas – mesmo que atravesse os primeiros dias de janeiro de 2021 – dá segurança aos interessados. A reunião de definição da vencedora é na sexta-feira, às 15h, novamente por videoconferência. Além da venda dos direitos de transmissão, as apostas de jogo também serão outro produto negociado pelos clubes.

Deixe seu comentário

1 Comentário

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*