Jogo entre Atalanta e Valência foi uma bomba biológica, diz Prefeito

Itália é neste momento o país mais afetado pelo coronavírus

A Itália é neste momento o país mais afetado pelo coronavírus com quase 70 mil casos confirmados e sete mil mortes. Segundo o prefeito de Bérgamo, Giorgio Gori, o jogo Atalanta e Valência, pelo jogo de ida das oitavas de final da Liga dos Campeões da Europa, contribuiu drasticamente para a disseminação do Covid-19 no norte da país. A partida terminou com a goleada do time italiano por 4 a 1 sobre a equipe espanhola e foi disputada no estádio San Siro, em Milão, já que a praça esportiva do clube não pode receber jogos da Champions League. Com isso, os torcedores tiveram que viajar 50 km de distância. Além do local onde aconteceu o jogo, outro ponto destacado pelo prefeito foi a aglomeração de pessoas para acompanhar o compromisso do time.

 

“O jogo foi uma bomba biológica. Naquela época, não sabíamos o que estava acontecendo. O primeiro paciente na Itália surgiu em 23 de fevereiro. Se o vírus já estava em circulação, os 40 mil torcedores que foram ao San Siro foram infectados. Ninguém sabia que o vírus estava circulando entre nós. Muitos assistiram ao jogo em grupos e houve muito contato naquela noite. O vírus foi transmitido de um para o outro”, afirmou citado pelo “Tutto Sport”.

Na semana passada, o Valencia anunciou que um terço do grupo formado por jogadores e comissão técnica testou positivo para o coronavírus. O duelo no San Siro ocorreu em 19 de fevereiro, na mesma semana em que o primeiro caso de coronavírus foi registrado na região. De lá para cá, Bérgamo se tornou uma das cidades mais afetadas da Itália – que se tornou o grande foco da pandemia do COVID-19 em todo o mundo neste momento.

As autoridades italianas não divulgam números exatos por cidade, apenas por região. E a Lombardia, onde está Bérgamo, registra mais de 500 mortes, sendo a área afetada de forma mais dura pelo vírus, a ponto de as funerárias não conseguirem dar conta dos funerais.

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*