Ednaldo Rodrigues será coordenador de projeto para valorização dos estaduais

CBF tenta ressuscitar os campeonatos estaduais

Os Campeonatos Estaduais já fizeram história e sem duvida exerceram papel importante no desenvolvimento do futebol brasileiro, no entanto, foi perdendo o interesse ano a ano. Perdeu o atrativo e hoje significa prejuízo certo para os principais clubes. Não é por acaso que a TV GLOBO já sinaliza que irá não renovar os estaduais a partir de 2020.

No nosso caso especifico, por exemplo, são valores simplesmente insignificantes considerando o nível de exigência financeira no futebol altamente profissionalizado. Os BA-VI que no passado atraiam multidões, hoje os dois jogos finais quando somados mal chegam aos 40 mil pessoas. Os estaduais já não revelam jogadores, os estádios não oferecem condições e o pior, poucos querem saber de um torneio que antes mesmo de começar já sabemos quem será o campeão e o vice antes mesmo da divulgação da lista dos clubes participantes.

No entanto, os estaduais continuam existindo ainda com todo o prejuízo para trazer vida útil as Federações Estaduais espalhadas pelo Brasil afora, as mesmas Federações que por sua vez, tem peso e poder de eleger o presidente da Confederação Brasileira de Futebol. (federações estaduais tem peso 3, os votos dos clubes das Séries A terão peso 2. E os clubes da Série B peso 1.)



A Federação Bahiana de Futebol, é claro, tem uma visão completamente diferente. Segundo a entidade, a existência dos Campeonatos Estaduais, tem uma importância que ultrapassam o limite das quatro linhas. São competições responsáveis pelo sustento de milhares de atletas, muitos deles humildes, que ainda buscam um lugar ao sol, além da criação de diversos empregos informais como vendedores ambulantes, bilheteiros entre outros.

Por isso, de acordo o site da FBF, a Confederação Brasileira de Futebol escolheu um caminho a seguir. O de valorizar e fortalecer os estaduais.

Foi pensando nisso que a diretoria da CBF anunciou uma relevante medida. A entidade criou um Grupo de Trabalho em prol da perenidade destes campeonatos.

A coordenação do grupo será de um dos maiores defensores dos estaduais no futebol brasileiro, o presidente da Federação Bahiana de Futebol, Ednaldo Rodrigues. O dirigente foi convidado e nomeado pelo presidente da CBF, Antônio Carlos Nunes.



O grupo também contará, como membros, com o presidente da Federação Amazonense de Futebol, Francisco das Chagas Dissica, representante da região Norte; o presidente da Federação Alagoana de Futebol, Felipe Omena Feijó, representante da região Nordeste; o presidente da Federação Goiana de Futebol, André Luiz Pitta, representante da região Centro-Oeste; o presidente da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro, Rubens Lopes, representante da região Sudeste; o presidente da Federação Paranaense de Futebol, Hélio Cury, representante da região Sul; e ainda o diretor de competições da CBF, Manoel Flores, como secretário do grupo.

O grupo fará um estudo a longo prazo. Discutirá o tema com todos os envolvidos nos estaduais, como clubes, Federações, atletas e imprensa. O objetivo é adequar ainda mais os campeonatos ao calendário, deixando-os ainda mais agregado às demais competições da temporada e buscando uma padronização dos mesmos, respeitando as particularidades de cada estado. O GT também auxiliará as Federações na captação de recursos para os campeonatos.

LEIA MAIS

Deixe seu comentário