Em súmula, árbitro justifica tempo de acréscimo no 2º tempo do Ba-Vi

Após o apito final, os tricolores questionaram o árbitro Bruno Pereira Vasconcelos por conta dos acréscimos.

Foto: Tiago Caldas /EC Bahia

O Esporte Clube Bahia sofreu uma derrota “pesada” no último domingo, no primeiro jogo da final do Campeonato Baiano. Após abrir 2 a 0, Rogério Ceni recuou o time e Vitória aproveitou para sufocar o rival e conquistar uma virada épica, por 3 a 2, no Estádio Manoel Barradas. O gol da virada foi marcado pelo atacante Iury Castilho aos 53 minutos do segundo tempo.

 

Após o apito final, os tricolores questionaram o árbitro Bruno Pereira Vasconcelos por conta dos acréscimos. Inicialmente, ele apontou cinco minutos de tempo adicional, mas a partida terminou com oito minutos de acréscimos. Na súmula da partida, o juiz explicou os acréscimos e afirmou que os dois times foram informados.

“Informo que a placa de acréscimo foi levantada aos 47 minutos do 2º tempo, decorrente à equipe de arbitragem estar gerenciando a comemoração de gol do E.C. Vitória, que ocorreu aos 45 minutos, momento em que deveria ter sido sinalizado”.

“Com isso, foi informado às equipes que os 5 minutos de acréscimo sinalizados pela placa se deram a partir dos 47 minutos, e a partida com o término aos 52 minutos”.

“Tendo ainda mais um minuto de acréscimo, somando um total de 8 minutos de acréscimo, finalizando a partida aos 53 minutos do 2º tempo”, escreveu o árbitro baiano.

Autor(a)

Fellipe Amaral

Administrador e colunista do site Futebol Bahiano. Contato: futebolbahiano2007@gmail.com

Deixe seu comentário