Gilberto diz ter recebido muitas propostas e explica escolha pelo Bahia

Ele destacou o projeto do clube e exaltou a torcida.

Foto: Felipe Oliveira / EC Bahia / Divulgação

O Esporte Clube Bahia apresentou na tarde desta terça-feira o lateral-direito Gilberto, de 30 anos, que estava no Benfica, de Portugal, e assinou contrato válido até o fim de 2026. Ele chega para assumir uma posição bastante carente. Vitor Jacaré vinha sendo improvisado no setor, mas se lesionou. Cicinho e André não passam confiança. Na sua primeira entrevista, o jogador revelou ter recebido muitas propostas, e explicou a escolha pelo Bahia. Ele destacou o projeto do clube e exaltou a torcida.

 

“O Bahia não perde de nada para os outros clubes grandes do Brasil. É um clube com estrutura, um clube campeão Brasileiro, uma das torcidas mais apaixonadas do Brasil. Quando as propostas chegaram, o Bahia sempre esteve junto ali”.

“Quando surgiu a proposta do Bahia e de outros clubes, a gente tem que sentar com a família, avaliar bastante. Vinha de um momento bom lá [na Europa]. Graças a Deus tive muitas propostas. A primeira coisa foi o interesse do Bahia, a forma que eles abordaram, toda negociação, o clube e, principalmente, o treinador. Parece que ele buscou todas as minhas informações lá no Benfica. Ele trabalhou bastante tempo por lá, e alguns jogadores que trabalharam com ele mesmo nas férias me mandaram mensagem para me dizer como é a relação dele com os atletas, o estilo dele de trabalho. E eu me identifiquei muito porque é uma forma que trabalhei bastante durante esses três anos lá. E eu gostei muito porque evolui muito taticamente, principalmente, defensivamente. Era um déficit que eu tinha jogando no Brasil. Evolui bastante com os treinadores com quem trabalhei lá e as ideias do Renato são muito parecidas. Isso foi um ponto positivo”.

“E a torcida do Bahia que é diferente. Os torcedores do nordeste, como disse, são torcedores muito calorosos. Jogar aqui na Fonte Nova sempre foi um desafio para a gente. Quando era adversário, a gente sabia que jogar lá seria muito difícil. Quando cheguei aqui foi a primeira coisa que eu falei, isso aqui é um caldeirão. A torcida, mesmo no momento em que a gente está, nunca abandonou a gente. Tenho visto sempre o estádio cheio. Então, a gente tem que trazer isso para o nosso lado, sempre. Esses foram os pontos: a torcida e as ideias do treinador – continua o lateral”.

“Estou muito feliz de estar aqui. A torcida do Bahia é muito calorosa, que abraça muito o clube, muito apaixonada. Desde antes de fechar, já mandavam muitas mensagens. A negociação começou a esquentar na metade das minhas férias. Então não é fácil. É um momento novo pra mim, nunca tinha vivido isso na minha carreira, de chegar num clube já jogando a temporada. O time de preparação física tem muita qualidade, já deu pra perceber. São muito inteligentes e tiveram que ter essa paciência. Agora é estar 100% para o próximo jogo”.

Autor(a)

Fellipe Amaral

Administrador e colunista do site Futebol Bahiano. Contato: futebolbahiano2007@gmail.com

Deixe seu comentário