Apresentado, Alan Santos se diz entusiasmado com retorno ao Vitória

Em 2021, volante disputou 26 jogos pelo Verdão do Oeste

Foto: Pietro Carpi / EC Vitória / Divulgação

Cria das categorias de base do Esporte Clube Vitória, o volante Alan Santos, um dos 14 reforços anunciados para a temporada 2022, cedeu a primeira entrevista coletiva na Toca do Leão nesta terça-feira (4) desde o seu retorno ao clube. Ciente do objetivo da diretoria em retornar o Rubro-Negro a elite do futebol nacional, ele garantiu que está confiante nesse retorno ao clube após 13 anos.

 

“Iniciei no Vitória em 99, saí em 2009, 10 anos depois. Fui para o Santos, fiquei seis anos, saí para o Coritiba, fiquei três anos, do Coritiba fui para o México, para o Tigres, fui emprestado para o Vera Cruz, fui para o Emirados, voltei para o Botafogo, fui para a Chapecoense e estou vindo para cá, para onde tudo começou”, contou. “Estou muito feliz e entusiasmado. Esse desafio me chama muita atenção, colocar o Vitória onde deve estar, que é um clube de Série A. Esse vai ser o meu trabalho. Quero cooperar com meu trabalho, dando a minha parcela”, complementou.

Nas últimas duas temporadas, Alan vestiu o manto da Chapecoense. Além disso, acumula passagens por Santos, Coritiba, Tigres, do México, Botafogo, e Ittihad Kalba, da Arábia Saudita. No entanto, a carreira do meia também ficou marcada por lesões consecutivas.

“Acho que como uma corrida de Fórmula-1, o carro às vezes tem que passar pelo pit stop, creio que precisava desse momento. Estou passando quatro anos de minha carreira bem ruins, em termos de competitividade, de lesões graves. Tive outras propostas, mas o Vitória me escolheu primeiro, diretoria de muita qualidade, Alex Brasil com quem já trabalhei. Precisava passar por esse pit stop, e escolhi o Vitória para estar aqui. Creio que o projeto desse ano vai dar certo e vou trabalhar para isso”, explicou.

O início do volante no futebol contou com a participação dele no Vitória na posição de meio-campista criador. Todavia, durante a carreira, ele atuou como primeiro e segundo volante nas equipes que passou.

“Eu jogo em qualquer lugar no meio de campo. Eu iniciei no Vitória como meia, depois eu fui para segundo volante lá. No Santos, o Muricy me colocou como primeiro volante, porque a característica do time dele era o time que jogava, e eu sou um jogador que sou mais técnico do que marcador, mas eu tive que me adaptar em alguns momentos da minha carreira, por parte do treinador que eu peguei, estilo de jogo que ele jogava. Mas em qualquer lugar no meio de campo eu consigo jogar e tentar ajudar o clube.”

Deixe seu comentário!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*