Bellintani se pronuncia após rebaixamento do Bahia para Série B

Bellintani assume responsabilidade após queda do Bahia para segunda divisão

Foto: Felipe Oliveira / EC Bahia

O Esporte Clube Bahia encerrou a vexatória campanha no Campeonato Brasileiro da Série A com derrota para o Fortaleza, por 2 a 1, de virada, na Arena Castelão, e consequentemente o rebaixamento para segunda divisão diante da vitória do Juventude sobre o Corinthians. Com isso, o Esquadrão se junta a Grêmio, Sport e Chapecoense. Após a partida, o presidente Guilherme Bellintani concedeu entrevista no Sócio Digital e respondeu perguntas feitas por jornalistas sobre os motivos que levaram o Tricolor a amargar a queda para a Série B. O mandatário assumiu a responsabilidade pelo decepção do time, mas também aproveitou para criticar a arbitragem, citando outros jogos e o pênalti marcado para o Fortaleza. Veja tudo abaixo:

 

“Toda raiva e toda a decepção do torcedor teve comigo, e tem nesse momento, são absolutamente compreensíveis. Eu sou o grande responsável pelo que aconteceu, não tenho dúvidas. As decisões são tomadas ou autorizadas por mim. Agora é ter humildade, e dentro das circunstâncias ter tranquilidade, para recolocar o Bahia de volta à Série A de maneira positiva”.

“Nada que eu falar vai diminuir a tristeza do torcedor, mas posso dizer que errei tentando acertar, mas não foi suficiente para evitar tamanha tristeza que eu coloquei no coração de cada um de vocês. Posso me comprometer com muito trabalho, muita dedicação, para que a gente está volte de onde está saindo nesse momento.

“A responsabilidade é absolutamente toda minha, sou o presidente do clube. Seja as decisões tomadas diretamente por mim ou pelas pessoas que contratei para tomar as decisões. Isso vai para cada funcionário do clube. Mas a decisão de cada uma dessas pessoas está sob a minha responsabilidade”.

“A mudança que fizemos no fim da temporada passada não surtiu o efeito que a gente imaginava. No fim de 2020, tínhamos um déficit muito grande. Em 2021, montamos um time sem absolutamente nenhum investimento. Gastamos quase nada na aquisição de atletas, porque precisávamos devido a um dos piores anos financeiros da história do Bahia. Tomamos uma decisão corajosa de não gastar o dinheiro que não tínhamos”.

“Não tivemos pré-temporada e tivemos que montar um time sem tempo e sem recursos. Logo na sequência, o título da Copa do Nordeste nos deu uma leitura que com aquele time teríamos um bom nível de competitividade no Brasileiro. E está aí o nosso erro, ter entendido que aquele time conseguiria fazer um campeonato sem ameaças. Isso não foi possível. O time perdeu competitividade, ficou oito jogos sem vencer. Depois tivemos outro erro grave, que foi um trazer um técnico estrangeiro.

“E depois que trouxemos Guto, com números razoáveis, não deu tempo para livrar o time. Mas nada tira minha culpa. Foi um campeonato atípico. A proximidade de times que brigavam por Libertadores e contra Z-4 foi imprevisível. O que aconteceu na reta final, com arbitragem, foi um grande absurdo. Inclusive o pênalti de hoje é mais uma na lista de polêmicas do Bahia. E só um lance foi em benefício do Bahia, que foi contra o Cuiabá. Por mais que eu não coloque na arbitragem a responsabilidade, é importante pontuar que nas últimas sete rodadas, o Bahia foi prejudicado cinco vezes”.

 

Autor(a)

Fellipe Costa

Administrador e colunista do site Futebol Bahiano. Contato: futebolbahiano2007@gmail.com

Deixe seu comentário