Bahia e Atlético jogam pelo empate para reeditar final no Campeonato Baiano

Bahia quer seguir em busca do 50º título estadual e do tetracampeonato baiano

Foto: Felipe Oliveira / EC Bahia

Nesta quarta-feira, vamos conhecer os finalistas do Campeonato Baiano de 2021, que já garantiu pelo terceiro ano seguido um representante do interior na grande decisão, visto que o Esporte Clube Vitória (assim como em 2019 e 2020) foi eliminado na primeira fase. Nas duas últimas edições, o Esporte Clube Bahia levantou a taça contra Bahia de Feira e Atlético de Alagoinhas, respectivamente. No último ano que tivemos um Ba-Vi decidindo o Baianão foi em 2018, com o Esquadrão vencendo o Leão nos dois jogos da final (2 x 1 e 1 x 0). Também existe a possibilidade de termos dois times do interior decidindo o título esse ano, ainda mais porque, diferente dos dois últimos anos quando usou o time principal, o Bahia está disputando o mata-mata com a equipe de transição.

 

Para seguir em busca do 50º título estadual e do tetracampeonato baiano que não vem desde 1984, o Esporte Clube Bahia precisa passar pelo Bahia de Feira, nesta quarta-feira, às 21h30, na Arena Cajueiro. Nos primeiros 90 minutos, o Esquadrão venceu por 1 a 0, no Estádio de Pituaçu, e agora joga pelo empate para se classificação, enquanto o Tremendão precisa vencer por dois gols de diferença para avançar à final ou por um gol para decidir a vaga nos pênaltis. O Bahia de Feira foi campeão baiano em 2011, com o técnico Arnaldo Lira, superando na decisão o Vitória. Em 2019, teve a chance de conquistar o bicampeonato, mas perdeu para o Bahia, empatando no Joia da Princesa por 1 a 1 e perdendo por 1 a 0 na Fonte Nova, com direito a pênalti defendido pelo contestado goleiro Anderson.

O primeiro finalista será conhecido no Estádio Adauto Moraes, em Juazeiro, onde Juazeirense e Atlético de Alagoinhas se enfrentam às 19h30 desta quarta-feira. No jogo de ida, o Carcará venceu por 2 a 1 e assim como o Bahia, joga pelo empate para se classificar à final pelo segundo ano seguido. O Cancão de Fogo, por sua vez, precisa vencer por dois gols de diferença para ficar com a vaga ou por um gol para decidir nos pênaltis.  A Juazeirense foi o melhor time da primeira fase, com 18 pontos somados, com 5 triunfos, 3 empates e 1 derrota, 10 gols marcados e 3 sofridos, um aproveitamento de 66,7%, enquanto o Carcará terminou na 4ª colocação, com 13 pontos, 4 vitórias, 1 empate e 4 derrotas, 48,1% de aproveitamento.

Com vantagem (ainda que mínima) por terem vencido os primeiros 90 minutos, Bahia e Atlético jogam pelo empate para reeditar a final de 2020. No ano passado, o Carcará curiosamente também enfrentou a Juazeirense na semifinal e se classificou após golear na ida (4×1) e perder por 2×0 na volta. Já o Esquadrão eliminou o Jacuipense, vencendo por 2 a 0 e empatando em 2 a 2. Os dois jogos da final foram disputados em Pituaçu e ambos terminaram empatados (0 x 0 e 1 x 1). Na segunda partida, o Atlético saiu na frente com Magno Alves, mas Daniel empatou para o Bahia. Nos pênaltis, o tricolor venceu por 7 a 6, com Douglas defendendo uma cobrança e Magnata mandando para fora.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*