“Futebol de alta performance não permite erros grosseiros”

Cláudio Prates creditou derrota do Bahia aos erros do time

Foto: Ailton Cruz

O Esporte Clube Bahia perdeu para o São Paulo pelo placar de 3 a 1 na noite deste sábado (28), pela 23ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série A. Luciano (2x) e Arboleda marcaram os gols do time paulista, enquanto Clayson descontou para o time baiano. Com o revés, o Bahia segue com 28 pontos ocupando a 12ª colocação, mas ainda pode perder posições para Ceará e Red Bull Bragantino até o complemento da rodada. Após a partida, o auxiliar Cláudio Prates, que comandou a equipe em substituição a Mano Menezes que está de Covid-19, creditou a derrota do Bahia aos erros grosseiros cometidos pelo time em campo.

 

“Erro, na minha opinião, pelas nossas falhas. A gente sabe. Cobrança é sempre interna. Não podemos falhar como falhamos. Postura de quem quer chegar acima na tabela, brigar por vaga na Sul-Americana, não pode ter postura de tomar gols como tomamos. A qualidade do adversário nós conseguimos neutralizar, situações que, teoricamente são mais simples, bolas paradas e altas, a gente falhou. […] Minimizamos os erros no primeiro tempo, jogamos de igual para igual, poderíamos sair na frente. No segundo tempo, não aconteceu. Cometemos erros grosseiros, e houve a derrota. Futebol de alta performance não permite erros grosseiros, e tivemos erros grosseiros. Isso que acontece em um jogo com essa qualidade do time contrário. Minimizar os erros é o que faz a gente ter resultados bons e ter uma performance boa”

Além de Mano, Mateus Claus, Ronaldo, Zeca e Juninho Capixaba foram diagnosticados com o coronavírus. Para piorar, o Bahia também não tinha Gilberto, suspenso. Prates também lamentou os desfalques.

“Essa semana foi muito difícil. A gente está sem o comandante, sem três pessoas da comissão. A todo exame, era muito tenso. É humano. Estamos lidando com pessoas. Obviamente, até o último minuto, a gente teve que esperar para poder treinar quem poderia jogar. De última hora, ainda perdemos dois. Isso mexe conosco como mexe com todo o futebol brasileiro. Mas a gente espera superar com a força do grupo e hoje, pelo menos primeiro tempo, demonstraram essa força.”

Comentários:

6 Comentário

  1. No auto dos meus 67 anos de idade, nunca vi uma torcida tão acomodada como esta torcida do BAHIA, parece até que este time não tem torcida.
    Este PLAYBOY que se diz presidente, esta levando o time a um abismo profundo e ninguem faz nada.A proxima vergonha será a eliminação da SUL AMERICANA e se continuar na primeira divisão será na posição de: ” decimo terceiro à decimo sexto ” isto se não cair para à segundona.

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*