Grande jogo. Exceto pelo 9 e pelo juiz caseiro – por Erick Cerqueira

Douglas sofreu 3 gols dificílimos de evitar

Enfrentar o Corinthians em São Paulo nunca é fácil. Fase boa, fase ruim, isso nem importa muito. A verdade é que sempre é um jogo dificílimo. Mas a derrota de hoje, apesar da péssima situação no campeonato, na verdade surgiu como um alento.

Antes de começar a falar do jogo, seria justo fazer uma homenagem ao preparador físico Eduardo Silva, que fazia parte da comissão técnica de Mano Menezes, e faleceu enquanto rolava o jogo, vítima de um AVC.

Em campo, um Bahia completamente diferente daquele que a gente estava amando odiar. Sem as presepadas do “sem falta” do ex-treinador, o time matava contra-ataques sim. Faltas táticas, para parar o jogo e rearrumar a defesa, voltaram. Vontade de ir pra frente fazer o gol, também voltou. E o time foi pra cima dos donos da casa. Elber perdeu duas chances, Rodriguinho furou rude e Gilberto… meu Deus. 

Gilberto completou nesso jogo 1000 minutos sem fazer um gol. São mais de 12 partidas de jejum [(90min+10 de acréscimo) x12 jogos=1200 minutos – substituições)], noves fora, sobe X-Y vai dar isso aí mesmo. Uma fase terrível e acho que já tá na hora de comer banco pra Saldanha (como inclusive falei no grupo Bahia do Twitter).

Gibagol perdeu chances claríssimas de gol e pra piorar ainda fez o primeiro, contra, pra abrir o placar pros caras. 1×0

Depois perdeu um, driblando o zagueiro e chutando sem goleiro. No rebote a bola bate na mão do zagueiro corintiano, mas aí o ‘juiz caseiro’ supera até o VAR. Roubados, mas seguindo lutando, os caras armam uma jogada e ampliam. 2×0

O Bahia não se abateu, e isso era nítido. Aquele time de meninos criado com açaí e leite ninho, sumiu. O Tricolor foi pra cima e conseguiu diminuir. “NINO PARAÍBA MERECE UMA ESTÁTUA NO DIQUE DO TORORÓ, DESGRAAAÇA”, dizia o áudio, profético, que viralizou. E ele acerta um chutaço de fora. 2×1.

Veio o segundo tempo e era evidente que o time só precisaria tirar Gilberto e colocar Saldanha. Mas Mano deu mais 10 minutos pra ele se queimar. O Corinthians amplia o marcador, num escanteio onde o atacante deles derrubou 2 zagueiros de vez. Mas como já disse: o apito corintiano é maior que o VAR.

Bahia não desiste e segue melhor. Pressiona os donos da casa até o fim da partida, e Saldanha volta a diminuir.Não há lógica pra ele ser banco do grande Gilberto (que precisa ser poupado até dele mesmo). 3×2

O Tricolor ainda ameaçou mais 3 vezes mas não conseguiu arrancar o empate. Uma pena, porque merecia uma sorte melhor no jogo de hoje.

Nada de lamentar. As coisas mudaram. O Bahia voltou a fazer algo parecido com futebol e precisa arrumar a zaga.

DE 1 A 11 

Douglas sofreu 3 gols dificílimos de evitar. Nino mereceu a estátua, não só pelo gol, mas porque jogou muito e se esforçou como há muito eu não via. Bela partida de Capixaba, também (que pecado aquele chute defendido por Cássio). A zaga não foi bem, mas Ernando e Wanderson, foram envolvidos no segundo gol e tomaram gol de escanteio. Inadmissível. O trio de volantes marcavam bem no meio, mas deixaram a desejar quando as linhas baixavam, mais perto da zaga. Tomamos 2 gols de fora da área. Ronaldo era o que mais ajudava, mas tomou amarelo. Gregore voltou a jogar bem e quase fez gol. Jadson não comprometeu. Rodriguinho não achou a bola e sofreu muito com a forte marcação. Elber voltou a jogar bola e o 9 eu já comentei lá em cima. Rossi entrou com a garra de sempre. Saldanha fez o gol. Daniel entrou bem demais, também. Marco Antônio deu mais velocidade mas ficou devendo e até Clayson não foi tão desgracento. 

Do lado do Corinthians o destaque ficou por conta de Wagner do Nascimento Magalhães, que não deu pênalti claro e nem invalidou o terceiro gol corintiano, onde Wanderson foi empurrado pelas costas. Além disso, dava cartão quando o Bahia matava a jogada e não dava quando os donos da casa faziam o mesmo. Deu até piscadinha pra Cássio. Será que isso nunca vai acabar no futebol?

Bora Baêa Minha Porra!

Eu esperava algo muito pior. Mano disse que esse era o último jogo pra observar as peças e solicitar reforços, e talvez por isso, tenha superado minhas expectativas. Tirando o resultado e classificação temporária, foi uma excelente partida do Bahia. Todos foram bem, menos Gilberto. infelizmente. Oremos para que ele se reencontre com o futebol perdido. 

Autor(a)

Erick Cerqueira

Resenheiro extra-oficial do Único TIME BI CAMPEÃO BRASILEIRO entre Minas Gerais e o pólo Norte. Publicitário da ESC3D, Marketeiro da URSAL, parcial, pai de Thor e apaixonado pelo meu Bahia! Contato: escdesigner@gmail.com

Deixe seu comentário