Bicampeão da Copa do Nordeste, Guto Ferreira iguala feito de Arthurzinho

Guto Ferreira foi campeão com o Bahia em 2017 e Ceará em 2020

Apesar da excelente vantagem construída no jogo de ida, no último sábado, vencendo por 3 a 1, o Ceará repetiu a dose e nesta terça-feira e venceu o Esporte Clube Bahia pelo placar de 1 a 0, com gol do atacante Cléber, conquistando a Copa do Nordeste pela segunda vez e novamente de forma invicta, garantindo R$ 1 milhão de premiação e vaga direta nas oitavas de final da Copa do Brasil. Esse também foi o segundo título do técnico Guto Ferreira, que igualou o feito de Arthurzinho, que era o único treinador bicampeão do torneio vencendo com Vitória (1997) e América-RN (1998). Guto levantou a taça em 2017 com o Bahia e esse ano com o Ceará.

 

Assim como em 2015, o Ceará conquista a Copa do Nordeste de forma merecida e invicta, em cima do Esporte Clube Bahia, além disso, vencendo os dois jogos. Cinco anos atrás, aplicou 1 a 0 na Fonte Nova e 2 a 1 no Castelão, terminando com uma campanha de 7 vitórias e cinco empates. Em 2020, empatou os quatro primeiros jogos do torneio, mas se recuperou e se classificou como líder do Grupo B, emplacando sete triunfos seguidos até a conquista do bicampeonato. Eliminou Vitória nas quartas de final vencendo por 1 a 0 e repetindo o placar na semifinal diante do Fortaleza. Na final, placar agregado de 4 a 1. O Vozão embolsa R$ 1 milhão com o título e garante vaga direta para as oitavas de final da Copa do Brasil.

O Esporte Clube Bahia chegou pela oitava vez na final e amargou a quinta derrota em decisões de Copa do Nordeste, três deles nas últimas seis edições (2015, 2018 e 2020). De 2013 para cá, quando retornou a Copa do Nordeste, levantou a taça somente em 2017 com Guto Ferreira, fazendo a melhor campanha da primeira fase da Copa do Nordeste, se classificando como líder do Grupo B, com 14 pontos (4 triunfos e dois empates). Nas quartas de final, despachou o Sergipe, vencendo os dois jogos (4 x 2 no Lourival Baptista em Aracaju e 3 x 0 na Arena Fonte Nova). Nas semifinais, eliminou o arquirrival Vitória. Perdeu a ida no Barradão por 2 a 1, mas venceu a volta na Fonte Nova por 2 a 0 com gols de Régis e Allione. Na grande final, enfrentou o Sport-PE, adversário também da decisão do Nordestão de 2001, quando o time tricolor comandado por Evaristo de Macedo conquistou seu primeiro títul. A freguesia foi mantida e o Esquadrão sagrou-se campeão em cima do time pernambucano, empatando por 1 a 1 na Ilha do Retiro e vencendo por 1 a 0 na Fonte Nova, com gol de Edigar Junio.

Deixe seu comentário

1 Trackback / Pingback

  1. Ceará cometeu menos erros e merecidamente foi campeão, diz Roger Machado

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*