Ceará bate o Bahia novamente e é bicampeão invicto da Copa do Nordeste

Bahia volta a jogar mal e perde por 1 a 0 no Estádio Metropolitano de Pituaçu

Foto: Felipe Oliveira / EC Bahia

O Esporte Clube Bahia entrou em campo nesta terça-feira com uma missão para lá de complicada, necessitando fazer o que somente o América-RN conseguiu no já distante ano de 98 com o técnico Arthuzinho, reverter uma derrota do primeiro jogo da final, isso precisando vencer o equilibrado time do Ceará por dois gols de diferença para ao menos para levar a decisão para os pênaltis, mas não chegou nem perto disso, muito pelo contrário. Sem mudança no time e também na atitude, a equipe de Roger Machado não foi capaz sequer de marcar um gol e perdeu novamente para o time de Guto Ferreira, pelo placar de 1 a 0, no Estádio Metropolitano de Pituaçu, e mais uma vez amargou um vice-campeonato do nordeste, o terceiro em seis edições (2015, 2018 e 2020), enquanto o Vozão tranquilo com o triunfo por 3 a 1 no primeiro jogo, administrou a vantagem e no momento certo matou o jogo com gol de Cléber conquistando o bicampeonato, superando o seu maior rival (Fortaleza, que tem 1 título), e se tornando o primeiro time a ganhar dois títulos nesse novo formato da competição, que retornou em 2013 com a chancela da CBF.

 

Assim como em 2015, o Ceará conquista a Copa do Nordeste de forma merecida e invicta, em cima do Esporte Clube Bahia, além disso, vencendo os dois jogos. Cinco anos atrás, aplicou 1 a 0 na Fonte Nova e 2 a 1 no Castelão, terminando com uma campanha de 7 vitórias e cinco empates. Em 2020, empatou os quatro primeiros jogos do torneio, mas se recuperou e se classificou como líder do Grupo B, emplacando sete triunfos seguidos até a conquista do bicampeonato. Eliminou Vitória nas quartas de final vencendo por 1 a 0 e repetindo o placar na semifinal diante do Fortaleza. Na final, placar agregado de 4 a 1. O Vozão embolsa R$ 1 milhão com o título e garante vaga direta para as oitavas de final da Copa do Brasil.

Primeiro tempo entediante para o torcedor tricolor viu em campo um Bahia claramente ansioso e nervoso, sem conseguir apresentar uma boa jogada criativa de ataque e apostando nos chutes de fora da área ou cruzamentos dos laterais, todos eles sem sucesso. O Bahia voltou do intervalo com Clayson e Nino Paraíba no intervalo, porém, a apatia seguiu a mesma. Sem brio, sem vontade, nem parecia que estavam disputando uma final de COPA DO NORDESTE. Por outro lado, o Ceará organizado e bem postado, aproveitou um contra-ataque rápido e balançou a rede com o ex-rubro-negro Cléber, aos 15 minutos.

Sem tempo para lamentações, o Esporte Clube Bahia volta a campo nesta quarta-feira (04), agora com um time alternativo, para enfrentar o Atlético de Alagoinhas, às 21h30, no Estádio Metropolitano de Pituaçu, pela partida de ida da final do Campeonato Baiano. A partida de volta será no sábado (08), às 16h30, também em Pituaçu. O Esquadrão busca o seu 49º título estadual e o tricampeonato consecutivo, algo que não consegue desde 1988.

Além de Estadual, o Bahia tem ainda mais duas competições para disputar no ano. A Copa Sul-Americana, na qual se encontra na segunda fase, após eliminar o Nacional-PAR vencendo os dois jogos (3 x 0 e 3 x 1), e o Campeonato Brasileiro, que começa no próximo sábado, porém, o jogo contra o Botafogo será remarcado, então, a estreia tricolor no Brasileirão será no dia 12, contra o Coritiba, às 20h30, em Salvador, pela segunda rodada. O Ceará, por sua vez, ainda tem as finais do Campeonato Cearense, contra o Fortaleza, além da Copa do Brasil, onde encara o Vitória pela partida de volta da terceira fase (na ida, o Vozão deu 1 a 0 no Castelão, e a volta ainda não tem data definida). Na Série A, o Vovô estreia no sábado (08), às 21h, contra o Sport-PE, na Ilha do Retiro.

FICHA TÉCNICA
Bahia x Ceará
Copa do Nordeste – Final (2º jogo)
Local: Pituaçu, em Salvador
Data: 04/08/2020 (terça-feira)
Horário: 21h30
Árbitro: Caio Max Augusto Vieira (RN)
Auxiliares: Jean Marcio dos Santos e Flavio Gomes Barroca (ambos do RN)
VAR: Pablo Ramon Goncalves Pinheiro (RN), com auxílio de Antonio Dib Moraes de Sousa (PI) e Cleriston Clay Barreto Rios (SE).

Bahia: Anderson; João Pedro, Lucas Fonseca, Juninho e Juninho Capixaba; Flávio, Gregore e Rodriguinho; Élber, Rossi e Fernandão. Técnico: Roger Machado.

Ceará: Fernando Prass; Samuel Xavier, Klaus, Luiz Otávio e Bruno Pacheco; William Oliveira, Fabinho e Vinícius; Fernando Sobral, Leandro Carvalho e Cléber. Técnico: Guto Ferreira.

Deixe seu comentário