Cruzeiro tenta contratar ex-atacante do Bahia, mas esbarra na dificuldade financeira

Arthur Caike deixou o Bahia após o fim do empréstimo

Foto: Vinícius Costa/BP Filmes

Após o fim do empréstimo , no final de junho, o atacante Arthur Caíke deixou o Esporte Clube Bahia e ainda não definiu o seu futuro. Na noite desta quarta-feira (30), surgiu a informação divulgada pela Rádio Itatiaia de que o Cruzeiro estaria interessado em contratá-lo, porém, esbarra nas dificuldades financeiras. O jogador, de 28 anos, pertence ao Al Shabab, dos Emirados Árabes, e os árabes têm interesse em negociá-lo, porém, deseja ter uma compensação financeira para liberar o atacante. Arthur Caíke foi uma indicação de Enderson Moreira e chegaria à Raposa para suprir a saída de Iván Angulo, que retornou ao Palmeiras após pedido do técnico Vanderlei Luxemburgo.

 

Arthur Caíke foi repassado por empréstimo ao Bahia em fevereiro do ano passado, com contrato até o fim de junho deste ano. O Bahia tentou negociar para prorrogar o empréstimo, mas não obteve sucesso. Os árabes não demonstraram interesse, pelo menos por enquanto, em um novo empréstimo de Arthur. O Cruzeiro não tem condições de fazer um investimento para ter o atacante neste momento.

Arthur Caíke foi quase um 12º jogador no time de Roger Machado, mas nunca chegou perto de se firmar como titular desde sua chegada, em fevereiro de 2019. No total, ele disputou 54 jogos, com nove gols marcados. Em 2020, entrou em campo nove vezes, mas não balançou as redes.

Natural de Barbalha (CE), Arthur Caíke do Nascimento Cruz foi revelado pelo Iraty e acumula passagens por Paraná, Coritiba, Londrina e Flamengo. Se destacou no Santa Cruz, em 2016, quando eliminou o Bahia na semifinal da Copa do Nordeste e levantou a taça regional, assim como o Pernambucano. Ele também foi um dos destaques da Série B de 2014, pelo Atlético Goianiense, terminando a competição entre os cinco maiores artilheiros do campeonato, com 12 gols. Chegou ao futebol árabe em agosto de 2018 e, até janeiro de 2019, marcou 6 gols em 15 jogos. A transferência internacional aconteceu após ser um dos principais nomes da Chapecoense por uma temporada e meia, com título catarinense e vaga à Taça Libertadores, em 2017.

VEJA TAMBÉM

 

Deixe seu comentário!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*