Ex-Bahia aguarda resolução de ação na Justiça do Trabalho contra o Cruzeiro

Dodô teve excelente passagem pelo Bahia na temporada 2011

Foto: Alessandra Torres/AGIF

Com boa passagem pelo Esporte Clube Bahia em 2011 antes de ser vendido pelo Corinthians para o futebol europeu, o lateral-esquerdo Dodô segue com o futuro incerto no Cruzeiro. O clube admite que busca formas de reintegrar o atleta ao seu elenco, porém, o staff do jogador aguarda a resolução de uma ação na Justiça do Trabalho, em que cobra da Raposa o cumprimento de acordos da gestão de Wagner Pires de Sá. A audiência, que havia sido marcada para terça-feira, foi cancelada e não tem nova data agendada, segundo informou o jornalista Samuel Venâncio. O gestor de futebol Carlos Ferreira, em entrevista à rádio Super 91,7 FM, falou sobre as tratativas. A informação foi divulgada pelo portal Bola Vip.

 

“Sempre demonstrei meu desejo de vê-lo novamente no Cruzeiro, um jogador importantíssimo. Entretanto, eu mandei a proposta de acordo ao advogado dele, e ele se predispôs a dar uma contraproposta, mas até hoje ela não aconteceu. Mandei várias mensagens para ele, inclusive pro pai do Dodô, mas eles estão inertes, não se manifestaram”, apontou Carlos.

Para o staff de jogador, porém, o momento é de resolver as pendências, bem como reconhecer o vínculo do jogador com a Raposa. No contrato da Sampdoria (ITA) com o clube mineiro, existia uma obrigação de compra se fizesse três partidas pelo clube em 2019 e se a Raposa alcançasse 15 pontos no Campeonato Brasileiro, como expressa o empresário do atleta, Júnior Pedroso.

“Isso foi cumprido e existia a obrigação de compra. Consequentemente, o pagamento de um saldo à Sampdoria e o Cruzeiro absorveria um contrato com o Dodô, o que já estava acertado. Neste ano, quando ele voltou para fazer a pré-temporada, em determinado momento um gestor do clube dispensou o Dodô do treino, dizendo que o Cruzeiro não reconhecia o vínculo. Ele teve que ir embora e essa situação foi até humilhante”, disse à reportagem do SuperFC.

O jogador, que estava na Itália desde 2012 e fez um bom 2018 com a camisa do Santos, chegou à Toca com o clube pagando R$ 330 mil em salários a ele, sem contar os direitos de imagem. No caso da renovação obrigatória – e em definitivo -, o Cruzeiro deveria pagar 300 mil euros à Sampdoria, e jogador deveria seguir recebendo essa quantia de R$ 330 mil mensais, valor que corresponde a mais que 50% do teto de R$ 200 mil estabelecido como teto para o conselho gestor em 2020. Além disso, em caso de renovação, o Cruzeiro deveria pagar R$ 8,8 milhões em luvas ao jogador, em 18 parcelas, entre fevereiro de 2020 e dezembro de 2021.

Dodô, hoje com 28 anos, foi revelado no Corinthians em 2009 e em 2011 foi emprestado ao Esporte Clube Bahia, onde se destacou apenar de ter atuado apenas 20 jogos e marcando um gol, já que foi atrapalhado por uma lesão. Ele passou por Roma e Inter de Milão antes de chegar à Sampadoria, que o emprestou a Santos e Cruzeiro nas últimas temporadas. Em 2019, pelo time mineiro, atuou 28 jogos e marcou 1 gol.

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*