Com o “Dedo na Ferida”, Bahia debate o racismo no futebol

O Esporte Clube Bahia aproveitando-se às celebrações pelo Dia da Consciência Negra, comemorado na última quarta-feira promoverá, até a próxima terça-feira (26), encontros e oficinas para debater o racismo no futebol, aliás, um tema que entrou em pauta com bastante intensidade nas últimas semanas. Os encontros foram iniciados na última quinta-feira (21). Com o tema “Igualdade Racial e Racismo Estrutural”, os debates tratarão a questão do racismo impregnado na cultura do país. O evento faz parte do programa “Dedo na Ferida”, em que o Bahia leva a público debates sobre temas que são considerados “tabus” na sociedade.

 

“Propor o debate, questionar como funcionam as instituições afetadas pelo racismo estrutural e institucional e assumir a responsabilidade com a transformação de um sistema injusto e desigual é um compromisso do Esquadrão neste Novembro Negro. Para isso, o projeto propõe oficinas internas no Bahia e oficinas externas em empresas e instituições interessadas em discutir o tema. Acreditamos que o acesso à informação e a consciência sobre as relações étnico-racionais na organização das instituições são meios de compreender, reconhecer e lutar contra o racismo institucional”, explicou o clube através de nota

As oficinas serão ministradas pelo Prof. Edson Cardoso, Doutor em Educação (USP), Mestre em Comunicação (UnB) e Assessor Especial da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial entre 2011 e 2014.

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*