Competência baiana e postura de mineirinho: Os passos do Bahia rumo à Libertadores

Bahia faz uma campanha sólida nesse Brasileirão de 2019

Foto: Felipe Oliveira / EC Bahia

Indo em direção à 23ª rodada do campeonato Brasileiro da Série A com uma campanha que em 22 partidas, fez 37 pontos, sendo 10 triunfos, 7 empates e 5 derrotas e com o saldo de 9 gols e distante quatro pontos do G-4, o Esporte Clube Bahia faz uma campanha sólida nesse Brasileirão de 2019, agradando a sua torcida e consolidando em números o esforço empreendido na reorganização do clube em 2013. Fato é que o que se vê é que se realiza uma campanha pautada na tranquilidade passada aos atletas pela diretoria ao cumprir de suas obrigações, o que dá ao elenco e comissão técnica uma distância da realidade existente e recorrente nos clubes que disputam a Série A, afundados em dívidas impagáveis com salários atrasados, demissão de técnicos em sequência que resulta em mau desempenho na tabela.

 

O Esporte Clube Bahia hoje nada em águas calmas, comendo pelas beiras como mineirinho, e tem feito um campeonato baseado pura e simplesmente no próximo jogo. Essa postura é essencial para que não se projete ao longe e se perca nessas projeções, desmotivando o elenco nos revezes quando ocorrerem e se afastando das metas estabelecidas.

O próximo jogo sendo o mais importante dá foco ao elenco numa disputa individual, onde o título da rodada em disputa é o objetivo imediato, o triunfo, que se soma ao que já foi feito e eleva o esquadrão na tabela. É um jogo psicológico perfeito empreendido pelo professor Roger Machado que deve se estabelecer em vista da falta de tempo de treinamento nessas rodadas com  jogos a cada 3 dias.

Na rodada 23, o jogo contra o Atlético-PR, time com campanha irregular fora de seus domínios, sendo que a preparação será suficiente para o triunfo em nossa casa com expectativa de grande público. Nossa defesa é destaque e a entrada de Élber na equipe deu um novo folego à equipe compensando a pequena “seca” de nosso artilheiro maior, que está sem marcar há algumas rodadas, mas mesmo assim, é o segundo maior artilheiro desse campeonato com 11 gols anotados.

Fato é que o Esquadrão de Aço tem distribuído os gols entre os atletas por assim dizer o que reforça o apego ao coletivo, onde os atletas confiam e torce pelo companheiro fazer um bom trabalho, cobra na medida certa da razoabilidade, num equilíbrio que pouco se via e assim tira o peso de uma peça ou outra, tornando todos, parte de uma engrenagem e cada um sabendo que é importante para que ela funcione.

Expectativa é que mais um triunfo venha e que subamos na tabela e conserve ou suba de posição na tabela rumo ao G4, pois chegar é mais fácil que se manter no topo e esse é o próximo desafio neste sábado as 19 horas com casa cheia e tanque cheio de cerveja a 1 real.

Texto: Diego Campos, torcedor do Bahia e colaborador do Futebol Bahiano.

 

 

 

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*