ESPORTE CLUBE BAHIA, A QUEDA NÃO VEM POR ACASO!

"Desde a sua chegada, Enderson tem o medíocre aproveitamento de 47%"

Foto: AFP/Dante Fernandez

Exatos trinta anos após estrear vencendo o grande Internacional na Taça Libertadores de 1989 (assisti esse jogo), o Bahia se despede eliminado pelo pequeno Liverpool do Uruguai na Copa Sul-Americana de 2019. Triste, porque trinta anos depois o tricolor cometeu o mesmo erro, e assim mais uma vez perdeu a oportunidade de galgar para o inédito título internacional. Tanto naquele 1989, quanto agora em 2019, faltou ao Bahia um comandante técnico preparado para esta gloriosa jornada.

Contudo, diria Machado de Assis: “A primeira glória é a reparação dos erros.”

Há 30 anos, o então jovem e sem “pedigree”, Renê Simões, desarrumou o time campeão brasileiro de Evaristo de Macedo, e em 1989 o tricolor custou a achar o prumo, foi parar no Torneio da Morte, quase caindo para a segunda divisão. Agora, o não tão jovem, mas também sem “pedigree”, Enderson Moreira, desarrumou de vez o time campeão duas vezes com Guto Ferreira nos últimos dois anos, e desconfio que o mesmo tricolor em 2019 custará a achar o prumo.

Não bastasse a derrocada dentro de campo, já que desde a sua chegada Enderson Moreira tem o medíocre aproveitamento de 47%, ainda acumula três eliminações em competições importantes, bem como o maior vexame da história do clube em decisões, que foi a perda da Copa do Nordeste, em casa, para o Sampaio Correia. Entra também na conta do medíocre técnico a enorme perda do craque Régis, principal jogador do Bahia nas últimas temporadas e responsável direto pelos últimos títulos conquistados.



O talentoso Régis [coberto de razão] pediu para ser emprestado para o futebol árabe após ser constantemente preterido pelo medíocre técnico Enderson Moreira, que em 2018 dava preferência ao regular Vinícius e aos péssimos Élber e Clayton. Nessa temporada 2019, absurdamente Élber e Clayton continuam no clube e o igualmente péssimo Rogério ainda veio se juntar a eles. Enquanto Régis no retorno da Arábia incrivelmente não ficará no tricolor, que contrariando a torcida, não reparou o erro e já o emprestou de novo, agora simplesmente para reforçar o poderoso Corinthians, bicampeão paulista.

A direção do Bahia desprezou a vontade da torcida de manter o melhor jogador das últimas temporadas no clube, exclusivamente para atender à mediocridade do técnico Enderson Moreira, com seus 230 mil reais de salário, seu desempenho pífio de 47% de aproveitamento, suas três eliminações, seu vexame diante do Sampaio Corrêa, sua preferência pelos péssimos Élber, Clayton e Rogério. A história plantada de indisciplina de Régis não engana a torcida, até porque o lateral Moisés desprezou o Bahia e agora foi aceito pelo clube. A saída de Régis e a permanência de Enderson Moreira poderá custar caro em 2019. O Bahia não repara seus erros.

André de Santana é Publicitário, torcedor do Bahia e colaborador do Futebol Bahiano.

Deixe seu comentário

5 Comentário

  1. Regis não queria ficar no Bahia, independente do mediano Enderson Moreira, com quem tambem não se relacionava bem, mas esta “culpa” o cara do Posto Ipiranga não tem. Isso foi relatado por varios setoristas que cobrem o Bahia.E a torcida tem que parar com esta mania de achar que, sempre o time tem um resultado ruim, que o jogador bom é aquele que não jogou.E um pouco de calma galera, substituir Enderson ainda é prematuro, lembrem-se da pressão contra Guto. Trocamos seis por meia duzia.

  2. APESAR DE SUAS QUALIDADES, VEJO QUE O BELITANI AINDA PRECISA APRENDER MUITO SOBRE FUTEBOL! POIS ENTREGAR A MONTAGEM DE UM TIME RELATIVAMENTE CARO, A UM TREINADOR APENAS MEDIANO, REPRESENTA UM RISCO DE PREJUÍZO MUITO AUTO! VEJAM O QUE ESSE ERRO JÁ REPRESENTOU AO ORÇAMENTO DO CLUBE DESTE ANO COM A ELIMINAÇÃO DA COPA SUL AMERICANA ! VEJO O ERRO DA MANUTENÇÃO DO TREINADOR OCORRENDO NOVAMENTE POIS O QUE ESTE TREINADOR PODE NOS ENTREGAR ESSE ANO, É NO MÁXIMO O BAHIANO E A PERMANÊNCIA MAIS UMA VEZ NA “SÉRIE A”, O QUE É MUITO POUCO PARA UM TIME COMO O BAHIA! SERÁ QUE A TORCIDA VAI TER QUE FAZER MAIS UMA VEZ CAMPANHA NAS REDES SOCIAIS ASSIM COMO FEZ COM O ANTIGO TREINADOR GUTO FERREIRA, PARA QUE ESSA DIRETORIA TOME ALGUMA POSIÇÃO ??

  3. O Bahia está caminhando a passos largos pra se recuperar no cenário nacional, após quase fechar as portas e virar, talvez, um bloco de carnava l. No entanto, parte dos torcedores parecem deixar se influenciar pela imprensa capciosa, que mamou nas terás na época da família MGF. Pessoal, vamos ficar espertos. Eu acho que o erro maior, nesse início de ano, foi trazer refugia, tipo ernando, Rogério, Guilherme. Mas continuo acreditando que o trabalho do EM vai aparecer, assim com apareceu no ano passado. Vale lembrar aos torcedores desavisados que por pouco não fomos à final da dupla. Ah,… Lembrando Tb que se não fosse o “entregador de camisas”, Ramires não passaria de um desconhecido. Um abraço a todos e bora baeaa.

  4. Diferente do tão elogiado “time do sonhos”, o elenco de sardinha não passa de um time mediano, para ruim. Perdeu para um mediano do Uruguai. O uruguaio se deu bem sobre a “sardinha paraguaia”.
    Empatou com os péssimos elencos do campeonato baiano.
    A falta de humildade, vaidade e máscara do clube vai levá-lo a série B. Não ganha nada em 2019.
    Escrevam.

  5. Se Enderson não é o técnico dos sonhos dos seus torcedores muito menos Guto, técnico covarde que jogou por terra sua última oportunidade de treinar um grande time de primeira divisão, se Enderson desperdiçar esta oportunidade terá o mesmo destino de Guto. Quanto a libertadores muitos torcedores se esquecem de que o Bahia caiu nas quartas de finas para o Internacional onde um grande detalhe fez toda diferença, o Inter tinha vencido a primeira por um a zero e o segundo jogo aqui em Salvador o Bahia precisa vencer só que caiu um tromba d’água em Salvador o dia inteiro o campo encharcado era improvável que o arbitro desse aquela partida, como já tinha vendido quase todo ingresso a orientação era que o torcedor ficasse com seu comprovante porque o campo estava alagado, o Bahia tinha um time rápido só tinha vendido Bobô, mais o Árbitro Arnaldo Coelho contrariando tudo, intencionalmente deu o campo como apto uma vergonha, terminou claro zero a zero a bola não rolava e favoreceu ao Internacional, mais o técnico ainda era Evaristo de Macedo.

1 Trackback / Pingback

  1. over here

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*