Enderson Moreira no Bahia: Prolongar isso, é brincar com a sorte!

"É muito pouco para o material humano que foi colocado à sua disposição"

Foto: Felipe Oliveira / ECB

O Esporte Clube Bahia decepcionou e simplesmente deu adeus à Copa Sul-Americana eliminado pelo modesto time do Liverpool-URU, uma equipe sem tradição ou feito importante no futebol do próprio país, além disso, que jamais havia avançado para segunda fase do torneio e vinha apenas no seu terceiro jogo oficial na atual temporada. E mesmo sem apresentar absolutamente nada nos dois jogos, o time uruguaio conseguiu eliminar o Tricolor Baiano, que foi superior nos 180 minutos, mas faltou competência e eficiência ao time do técnico Enderson Moreira.

O time tricolor fez quase 80 finalizações a gol e apenas 4 no gol, dessas, quase todas nas mãos do goleiro, que infelizmente para o Bahia, não era cotó ou tetraplégico. O time não preparava a jogada, ‘chuveirava’ ou chutava sem capricho.

Os atacantes não tentavam quebrar as linhas com dribles ou triangulações, e os meias jamais enfiavam (lá ele!) uma bola por dentro da zaga. E mais uma vez, ao substituir, o time involuiu em campo, tornando o jogo completamente controlado pelo adversário.

Enderson não arrumou a defesa, o meio campo e nem o ataque. E ao utilizar o banco de reservas, o time sempre involui e passa a ser completamente dominado pelos adversários. O time não cria, nem marca, apenas chuta de fora da área sem preparar a jogada e dá chuveirinhos. É muito pouco para o investimento realizado e o material humano que foi colocado à sua disposição.

Artur atuou o primeiro tempo muito longe da área, sendo Nino o atleta mais agudo do time, sem menosprezar o nosso lateral, que fez uma partida “Ok”, mas ficamos realmente a nos perguntar finalmente, quais dos dois atletas possuem maior capacidade para definir uma partida? Claro que é uma pergunta retórica…

No contexto de falta de qualidade no setor de criação, e que quando lança mão dos atletas do banco, jamais o time cresce de rendimento, é nesse momento que emprestamos Régis para reforçar uma equipe rival? São muitos erros para tão pouco tempo. Prolongar isso, é brincar com a sorte.

Ramon Santos, torcedor do Bahia, amigo e colaborador do Futebol Bahiano.



Será que o Esporte Clube Bahia está precisando de um treinador?

Deixe seu comentário

7 Comentário

  1. Essa é uma grande diferença de técnico que estudou o adversário, contra outro muito previsível, repare que os jogadores mais perigosos do Bahia tinha marcação dobrada, ai Enderson insistia em cruzar bola na área com Gilberto solitário tendo marcação dobrada, esse é o grande defeito do nosso treinador, mudar o esquema tático a depender do adversário, ele é muito previsível.

  2. acredito que o Bahia vai sofrer bastante nessa temporada, pois apesar de um bom elenco n tem um técnico a altura, contrata um Dorival Júnior,esse sim é técnico de série A trás mais três peças um lateral pra ser titular, um meia e mais um atacante de beirada pra essa posição sugiro Edvaldo do fluminense o clube está em crise financeira e está tentando um novo empréstimo do jogador mais o clube quer vender é o valor é 2 milhões de reais creio que ele seja melhor que Rogério e elber ,então o Bahia precisa investir em um técnico e deixar esse técnico de série B e de times que brigam pra fugir da zona longe do Bahia ,Enderson n foi bem em nenhum time de ponta que treinou ( grêmio, Santos, fluminense) foi bom em times como América Mineiro, Goiás e etc ,então ele n é capacitado pra esse momento do Bahia.

  3. Na minha opinião, o Enderson tem culpa sim. Nas partidas importantes e com times mais qualificados ficamos presos na zaga aniversaria, faltou alternativas pré definidas para confundir e tirar da zona de conforto o time a dversario. Ou seja, estratégias e táticas diferentes de acordo com a situação apresentada.

    Zé Duarte, não vou nem comentar os erros absurdos de ontem nas substituicoes, foram coisa de estagiário.

    Ter o domínio do jogo sem efetividade é muito pouco para vencer, veja o que aconteceu nos dois jogos contra o Liverpool. Pois tu me diga, quem é que é pago para buscar as soluções para vencer as partidas?

    • Obrigado!
      Futebol burocrático e sem objetividade. Me diga qual o setor do time do Bahia que está “arrumado”?
      O Bahia gira a bola de um lado para o outro para fazer a zaga adversária mover-se e nessas mudanças de posicionamento, abrir brechas para serem exploradas, por infiltração de bolas ou de atletas. Mas o time não faz isso, apenas abre para o lado e cruza para uma área repleta de zagueiros, em que figura apenas o esforçado Gilberto e mais uns gatos pingados eventuais.
      Imaginar que contra equipes mais qualificadas, esse sistema ofensivo irá funcionar, é mentir para si mesmo.
      Também sou contrário às demissões prematuras de técnicos, mas no caso de Enderson, ele demonstra realmente não ter competência para fazer esse time render o que se espera. Não é capaz de extrair o melhor dos seus atletas, colocando-os em campo, onde as suas características mais se adequem.
      A equipe precisando fazer 2 gols, e não vi em momento nenhum, uma equipe organizada para tal objetivo.
      Respeito as opiniões contrárias, mais estamos no final de fevereiro, e mesmo enfrentando de qualidade e séries inferiores, não foi ainda capaz de demonstrar nada daquilo que se espera do Bahia.
      A defesa é de uma fragilidade absurda, o meio é incapaz de criar, e o ataque não possui nenhuma capacidade criativa ou eficiência nas conclusões.

  4. Bom texto, Ramon Santos, bom te ler!
    Rapaz, realmente parece que o time do Bahia vem se especializando, apesar de manter o controle das partidas, em tocar a bola de um lado para o outro na frente da zaga adversária, com pouco ou quase nenhum resultado concreto de possibilidade de gol. E como tu falou, insiste em chuveirar lançamentos na área sem estratégia definida, fazendo simplesmente um treino para o goleiro adversario. Pois tu veja, os chutes de fora da área, na grande maioria das
    vezes, ocorrem de forma desesperada, sem convicção de ser o momento e a melhor opção.

    Vejo que falta também ousadia dos atacantes, faltam dribles e criatividade para quebrar os ferrolhos das defesas aniversarias. O que temos visto é jogo após jogo um time burocrático cujos jogadores parecem robôs executando tarefas pré definidas. Futebol vencedor é muito mais que isso, necessita algo diferente, necessita daquele toque inesperado e criativo que surpreenda o aniversário.
    Os nossos volantes precisam , além de marcar, chegar de surpresa no ataque. Com essas subidas facilita as iniciativas dos atacantes e confunde o sistema de defesa do adversário.

    Ramon Santos, sinceramente não sou a favor de troca de treinador, por conta disso opinei aqui por um pouco mais de paciência com o Enderson Moreira, porém, depois de ontem o que mais quero é vê-lo treinando futebol com os pinguins, numa ilha bem gelada la na casa do cara…
    FORA ENDERSON MOREIRA, JÁ!!!!!
    BBMP.

    O problema é que todas essas iniciativas devem partir do comandante do elenco, no caso, o Enderson Morereira. Após o jogo de ontem, tenho sérias dúvidas se ele está à altura do desafio que termos pela frente.

  5. Bom texto, Ramon Santos, bom te ler!
    Rapaz, realmente parece que o time do Bahia vem se especializado, apesar de manter o controle das partidas, em tocar a bola de um lado para o outro na frente da zaga adversária, com pouco ou quase nenhum resultado concreto de possibilidade de gol. E como tu falou, insiste em chuveirar lançamentos na área sem estratégia definida, fazendo simplesmente um treino para o goleiro adversario. Pois tu veja, os chutes de fora da área, na grande maioria das
    vezes, ocorrem de forma desesperada, sem convicção de ser o momento e a melhor opção.

    Vejo que falta também ousadia dos atacantes, faltam dribles e criatividade para quebrar os ferrolhos das defesas aniversarias. O que temos visto é jogo após jogo um time burocrático cujos jogadores parecem robôs executando tarefas pré definidas. Futebol vencedor é muito mais que isso, necessita algo diferente, necessita daquele toque inesperado e criativo que surpreenda o aniversário.
    Os nossos volantes precisam , além de marcar, chegar de surpresa no ataque. Com essa subidas facilita as iniciativas dos atacantes e confunde o sistema de defesa do adversário.

    Ramon Santos, sinceramente não sou a favor de troca de treinador, por conta disso opinei aqui por um pouco mais de paciência com o Enderson Moreira, porém, depois de ontem o que mais quero é vê-lo treinando futebol com os pinguins, numa ilha bem gelada la na casa do cara…
    FORA ENDERSON MOREIRA, JÁ!!!!!
    BBMP.

    O problema é que todas essas iniciativas devem partir do comandante do elenco, no caso, o Enderson Morereira. Após o jogo de ontem, tenho sérias dúvidas se ele está à altura do desafio que termos pela frente.

  6. Enderson errou nas substituiçõs… mas o time fez 57 finalizações, apenas 1/6 dentro do gol e dominou os 2 jogos… ele tem culpa?

    Os jogadores também precisam ser cobrados.

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*