“O que eu quero vai demorar um pouco mais”, diz Guto após novo tropeço

"O importante é que temos margem de melhora bastante grande"

Diferente de 2017, apesar da mesma “falta de ritmo”, o Bahia inicia 2018 de forma vexatória. Nos primeiros jogos, duas derrotas, dois gols sofridos e nenhum gol marcado. Resultados que começam a preocupar o torcedor, independente de ser início de temporada, com várias justificativas prontas para serem dadas pelo técnico Guto Ferreira. Após novo tropeço do Bahia, agora para o Bahia de Feira, o treinador tratou de amenizar o início de ruim, apontando algumas melhorias. Gordiola afirmou ainda que o ele quer, ainda vai demorar um pouco mais e comemora a pausa para o Carnaval.

“O que eu quero vai demorar um pouco mais. Nós temos ainda cinco jogos até a parada do carnaval, quando vamos ter dez dias praticamente de parada. Antes disso, nós vamos folgar dois dias e jogar, folgar dois dias e jogar. A gente vai ter que buscar soluções que não vem conseguido dentro de campo. É o tempo. Nós praticamente descansamos, fizemos um treino e viemos para o jogo. Fizemos algumas correções, mas ainda a gente está devendo, está bem abaixo, não está no nível que gostaria para início. A gente achou que poderia começar melhor, não está acontecendo. E não digo que o resultado tem refletido também a quantidade que temos criado. E sempre uma falha atrás tem nos prejudicado. Então, nós temos muito que melhorar. O importante é que temos margem de melhora bastante grande. Esperamos que seja o quanto antes. Quarta-feira já tem jogo de novo, e vamos ver o que possamos fazer para colocar um time forte e vencer”, disse.

Veja trechos da coletiva de Gordiola:

Pausa para o carnaval é importante?

– Pelo menos vai ter tempo de você treinar porque tudo é repetição. A gente não consegue fazer uma repetição. Fizemos ontem, com o time titular, um treino com duas situações: bola parada e o “dez-zero”. Um treino extremamente curto porque os caras ainda estavam em um processo de recuperação, não completaram nem 66 horas. Eles têm que ter 72 [horas de descanso] e já foram para o jogo. Paciência. Mas aí “por que não coloca um time alternativo?”. Porque se o titular não está no time, imagine o outro. Então tem isso também. Nós também corremos atrás de resultado, temos que ser inteligentes. Agora, em alguns momentos vamos ter que rodar jogador. Hoje colocar o Everson, o Brumado, dois meninos, que nos ajudaram e não conseguimos resolver.

Como melhorar

– A gente já conseguiu outras vezes. É trabalhar, aceitar as críticas, amenizar interiormente. É como diz meu amigo Tite, é lamber as feridas e buscar de novo, buscar situações de força, que a gente não mostrou ainda e possa conseguir o resultado. Quando conseguir o resultado, a coisa dá uma acalmada, o nível de confiança sobe, e aí o time consegue desempenhar melhor.

Alterações agradaram

– Com Vinícius, a gente perde em marcação, normal, e ganha em articulação. Só que, o motivo do Vinícius naquela situação e não durante o início do jogo, porque nesse momento o jogo está mais lá e cá e você precisa ter. Agora, depois você não tem mais o que perder. Se há um erro de posicionamento, você está apostando. Antes, você tem que ter um poder de marcação e articulação. A gente não estava tendo saída de bola mais rápida e com Vinícius a gente passou a ter, passe por dentro, por fora, e chegamos bastante no último terço do campo, mas não conseguimos chegar em condição boa de finalização. Chegamos mais no segundo tempo que no primeiro.

Abaixo do que gostaria

– Do que eu gostaria sim, em termo de resultado. Mas tudo isso normal. Se você puxar todas as equipes que estão jogando está acontecendo a mesma coisa, até pelo tempo que elas estão trabalhando. Contra o tempo não tem o que fazer. É o tempo, a repetição que vai fazer com que eles descansem e treinem até que consigam chegar em um estágio físico que vai fazer com que tenham o reflexo mais rápido, concentração mais rápida e desenvolver o jogo mais rápido. É questão de um mês, um mês e meio, mas nós temos que conquistar resultado antes.

Hernane

– Treinamento e oportunidade. Treinar, na medida que tenha oportunidade, mostrar o que a gente está esperando, aquilo que a equipe precisa. Mostrou, oportuniza de novo. Se não mostrar, é uma questão que fica difícil.

Veja a entrevista

Veja os melhores momentos do jogo Bahia de Feira 1 x 0 Bahia

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*