Bahia utilizou Fazendão para aumentar investimento do Grupo City

"O Fazendão também foi objeto de negociação. Tem um valor aproximado de R$ 25 milhões"

Além do CT Evaristo de Macedo, o Fazendão também foi colocado pelo Esporte Clube Bahia na negociação com o Grupo City para a venda da Sociedade Anônima de Futebol. Durante reunião do Conselho Deliberativo, o presidente tricolor Guilherme Bellintani explicou que o antigo Centro de Treinamento tem valor aproximado de R$ 25 milhões e foi utilizado para aumentar o valor da proposta de investimento do conglomerado árabe. Inativo desde o fim de 2019, o Fazendão teve uma proposta de venda no valor de R$ 22 milhões feita pela MRV, que foi aprovada pelos sócios, mas depois uma construtora atravessou o negócio oferecendo R$ 26 milhões. Caso seja vendido, é provável que o Grupo City use o valor para quitação de dívidas.

 

“O Fazendão também foi objeto de negociação. Tem um valor aproximado de R$ 25 milhões. A partir do valuation que determinamos para o clube, entendemos que seria melhor transferir o Fazendão para a SAF e ela tocasse todo o processo do que ficar com o Fazendão e reduzir do preço que colocamos como alvo. É basicamente negociação comercial na mesa: ‘se você subir o preço do investimento, eu deixo o Fazendão. Se diminuir o investimento, eu tiro. Entendemos que era melhor deixar o Fazendão para a SAF e obter o melhor número comercial de investimento para o clube, do que ficar com o Fazendão e ter uma redução de investimento”, disse. 

“Lembrando que o Fazendão não está vendido. O que estamos assinando é uma promessa de venda, que pode ser que daqui a um ano a empresa pode dizer que não pôde aprovar o empreendimento, o que é absolutamente natural aqui em Salvador. E a gente tenha o preço menor no negócio e fique com o Fazendão”.

VEJA TAMBÉM

Autor(a)

Fellipe Costa

Administrador e colunista do site Futebol Bahiano. Contato: futebolbahiano2007@gmail.com

Deixe seu comentário