Conselheiros explicam AGE do Vitória sobre futuro de Paulo Carneiro

Em entrevista à Rádio Salvador FM 92,3, Hugo Mattos e Victor Mendes analisaram a atual etapa do processo de destituição do presidente afastado

Uma Assembleia Geral Extraordinária (AGE) está marcada para acontecer no próximo sábado (21) no Vitória. O objetivo do encontro é definir a situação do presidente Paulo Carneiro, afastado do cargo há oito meses por gestão temerária. Na oportunidade, os sócios vão votar para destituir oficialmente o mandatário do clube ou reintegrá-lo.

 

“É um momento histórico. Já tivemos renúncias, mas nunca uma destituição. Essa AGE é o final de um processo que dura mais de um ano. Teve a apresentação do último recurso do presidente Paulo Carneiro, que pôde se defender, tivemos uma última reunião para julgar um último recurso. Houve um relatório, e o Conselho Deliberativo manteve o afastamento dele e marcou a AGE, que vai definir se ele vai voltar ou se vai ser destituído”, explicou o conselheiro Hugo Mattos, em entrevista ao programa BN Na Bola, da Rádio Salvador FM 92,3.

Para deixar a função temporariamente, Paulo Carneiro passou por apurações de várias comissões do Leão da Barra. Entre os aspectos da gestão insegura estão bens sociais em uso pessoal e ausência de transparência com os sócio torcedores do clube. Uma das ações do gestor teria acarretado em adiamento de remunerações, com valor total de R$ 719 mil.

“Ele receberia a remuneração como presidente do Vitória, e teria sido feito como acordo para receber também do [Vitória] S/A. Em algum momento esse acordo não foi cumprido. Quando a coisa transbordou, precisou se fazer um ajuste. O vice, que tinha feito a opção de não receber a remuneração, quis transferir os créditos para o presidente Paulo. Você não pode ter esse tipo de confusão. Isso não existe. Precisamos ter muito cuidado, não começar a tratar como normal o que não pode ser tratado como normal. Dada a situação de crise que vivemos atualmente, se torna muito mais grave. É disso que está se tratando”, explicou Victor Mendes, outro conselheiro no processo.

As sessões vão ocorres em três momentos: 8h, 8h30 e 9h. Na ocasião, Paulo Carneiro vai poder realizar, novamente, uma defesa para o público presente, em 15 minutos.

Deixe seu comentário!