Missão do Bahia na Copa do Brasil é rara, e do Vitória beira o inacreditável

nem o mais otimista do torcedor tricolor acredita na classificação

A missão do Esporte Clube Bahia nesta quarta-feira na Copa do Brasil não é simples. Depois de ser derrotado pelo Atlético Mineiro na ida das oitavas de final da competição por 2 a 0 no Estádio do Mineirão, o tricolor de aço precisa reverter o placar no Estádio Joia da Princesa, em Feira de Santana, para se classificar para às quartas de final. Até 2016 apenas um time tinha obtido tal proeza, justamente o adversário do Bahia. Aliás, nem o mais otimista do torcedor tricolor acredita na classificação, principalmente pelo fato do Esquadrão vir de uma sequência de cinco derrotas seguidas e sem marcar sequer um golzinho, que entrou para a história do clube como uma marca negativa.

 

O complicador desta empreitada do time baiano é o fato de precisar fazer 3 x 0 em um time poderoso e em grande fase, sendo que não consegue marcar UM contra o Sport na parte de baixo da tabela de pontuação ainda que considerando a imprevisibilidade do futebol tão decantada, mas que, porém, só se manifesta de tempo em tempo e quando acontece é tratado como resultado heroico, mal assombrado e coisa e tal, bem ao estilo do triunfo do Santa Cruz por 4 x 0 e na sequência receber 5 x 0 na Fonte Nova num passado já distante, e não pela Copa do Brasil, mas sim pelo Campeonato Brasileiro da Série A de 1981, aliás, esse exemplo se aplica melhor dentro das necessidades do Vitória em superar o Grêmio.

A situação do Esporte Clube Vitória chega a ser extravagante acreditar que pode aplicar 4 x 0 no Grêmio em Porto Alegre, visto que durante toda o histórico dos confrontos, o Vitória venceu apenas o Grêmio pelo placar de 2 x 1 no Brasileiro de 2016, e ainda com todo esforço, não foi possível identificar na história recente a reversão de um placar 3 x 0 na Copa do Brasil, seja jogando dentro ou fora de casa. Além disso, atuando fora de casa, o Leão não venceu um jogo sequer na Série B, isso contra adversários muito inferiores. Já na Copa do Brasil, derrotou o tímido Águia Negra-MS por 1 a 0, além também do Internacional por 3 a 1, placares que também não ajudariam em nada nesta terça-feira.

VIRADAS NA COPA DO BRASIL

Na campanha do título de 2014, o Atlético Mineiro tinha o Flamengo pela frente nas semifinais. No jogo de ida, no Maracanã, o Galo perdeu por 2 a 0, e se viu em maus lençóis para reverter o placar no jogo de volta. O Alvinegro não marcou nenhum gol fora de casa, o que complicava ainda mais a situação da equipe comandada por Levir Culpi na ocasião.

O jogo de volta foi no Mineirão. Com a torcida alvinegra acreditando na virada, o time entrou com sede de vitória. Diego Tardelli, Luan e Dátolo comandavam a equipe que viria a ser campeã contra o rival Cruzeiro na final. Em uma partida emocionante, o Galo conseguiu reverter o resultado contra o Flamengo em Belo Horizonte: 4 a 1, com gols de Carlos, Maicosuel, Dátolo e Luan, já nos minutos derradeiros do confronto.

Em 2017, outra vez o Clube Atlético Mineiro brilhou na competição. O time perdeu o primeiro jogo para o Fortaleza no Estádio Castelão por 2 x 0, porém, no jogo de volta numa partida dramática o Atlético-MG venceu o Fortaleza por 3 x 1. Na atual edição da Copa do Brasil, o ABC protagonizou uma virada heroica. Perdeu o primeiro jogo por 3 a 1 na Arena Condá, mas na volta, no Rio Grande do Norte, venceu a Chapecoense por 3 a 0, avançando às oitavas de final para enfrentar o cascudo Flamengo.

Comentários:

1 Comentário

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*