Aguerrido, Atlético supera o Bahia de Feira e é campeão baiano pela 1ª vez

Atlético teve um jogador expulso e ainda assim venceu o Bahia de Feira

Foto - Walmir Cirne/AGIF

Após o empate eletrizante em 2 x 2 no último domingo no Estádio Antônio Carneiro, com duas pinturas e dois gols nos acréscimos, Bahia de Feira e Atlético de Alagoinhas se reencontraram neste domingo na Arena Cajueiro, em Feira de Santana, para a segunda etapa da decisão inédita e histórica do Campeonato Baiano, pela primeira vez em 116 anos decidida entre dois times do interior. Curiosamente, a final reuniu os dois últimos vice-campeões, porém, o Tremendão buscava o bicampeonato, enquanto o Carcará tentava o seu primeiro título e conseguiu de forma heroica, não somente pelo empate no apagar das luzes na ida. Neste domingo, o Atlético foi aguerrido ao vencer o Bahia de Feira de virada pelo placar de 3 a 1 jogando boa parte segundo tempo com um jogador a menos, conquistando merecidamente o título do Campeonato Baiano de 2021, o primeiro da história do clube que tem 51 anos de vida.

 

Assim como no jogo de ida, não faltou emoção na partida de volta. O Bahia de Feira abriu o placar logo aos 14 minutos, com gol contra o zagueiro Iran. Após cobrança de escanteio, a bola bateu nas costas do defensor e morreu no canto. Dez minutos depois, aos 24, Iran foi de vilão a herói. Dionísio cobrou falta na área e o zagueiro cabeceou para empatar a decisão. O gol animou o Atlético de Alagoinhas que passou ameaçar mais o Tremendão e aos 46 minutos, alcançou a virada, com gol de pênalti. Dionísio finalizou e a bola bateu no braço de Wesley dentro da área. O atacante Ronan chamou a responsabilidade, deslocou o goleiro e marcou o seu quinto gol no Baianão assumindo a artilharia com 5 gols.

No segundo tempo, o Atlético seguiu bem postado em campo e o Bahia de Feira sem conseguir criar chances de gol, porém, aos 15 minutos, o VAR entrou em ação e chamou o árbitro para analisar falta do volante Gilmar. O juiz retirou o amarelo e deu o vermelho para o jogador, deixando o Carcará com 10 em campo. Mesmo com um a menos, o Atlético não se abateu e aos 24 minutos marcou o terceiro com gol do volante Dionísio. Nos minutos finais, o Tremendão correu atrás do prejuízo, chegou a marcar aos 45 minutos com Pelé de cabeça, colocando dramaticidade na reta final, mas o Atlético conseguiu segurar o resultado.

O Atlético de Alagoinhas é o quinto time do interior a levantar a taça do Campeonato Baiano. Na década de 60, o Fluminense de Feira conquistou duas vezes o título baiano, ambos em cima do Esporte Clube Bahia, nas edições de 1963 e 1969. Em 2006, foi a vez do Colo Colo de Ilhéus colocar o interior no topo do futebol baiano levantando a taça em cima do Esporte Clube Vitória. Em 2011, o Bahia de Feira superou na decisão o Vitória em pleno Estádio Manoel Barradas.

 

Deixe seu comentário!

2 Comentário

  1. Parabéns ao Carcará pela conquista do título. Os treinamentos no gramado de Serrinha que é, também, grama sintética, deve ter feito efeito na boa partida realizada pelo time de Alagoinhas.
    Para mim, qualquer um que vencesse, a conquista do título era justa.
    Quanto à fragilidade ou ruindade do campeonato que muita gente torce pela sua extinção, acho que deve haver muita reflexão para uma decisão como essa. Sabemos que Bahia e Vitória tem suas competições de âmbito nacional para disputar, principalmente, o Bahia, mas,a FBF terá que ter uma visão holística sobre o assunto porque os clubes do interior estão tentando crescer, pagando pouco ou muito, ainda é um bom mercado de trabalho no interior e de uma hora para outra, só para atender interesses de Bahia e Vitória e em detrimento aos clubes do interior, a FBF não pode se precipitar em tomar uma decisão tão radical, até porque, se muitos acham que o campeonato baiano é um zero à esquerda, não vale nada, pelo menostem servido para indicar seu campeão entrar direto para Copa do Nordeste e outras vagas para Copa do Brasil e a Série D. Então, tem alguma importância!

  2. Tudo construído para resgatar um campeonato falido, o teatro foi perfeito mais não terá efeito positivo que impeça o estadual de perder o interresse até acabar definitivamente.

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*