De saída? Empresário de Clayson revela propostas do Brasil e exterior

Clayson vem treinando separado do elenco na reapresentação do Bahia

Foto: Felipe Oliveira / EC Bahia

Sem participar dos treinos com bola realizados no Centro de Treinamento Evaristo de Macedo desde a reapresentação do elenco principal do Esporte Clube Bahia, na última terça-feira, o atacante Clayson pode estar de saída do clube. Apesar de não ter feito uma boa temporada em 2020, o jogador tem recebido propostas de clubes do Brasil e do exterior, e já existe uma conversa internamente para definir uma possível saída. Quem confirmou a informação foi o empresário Edvaldo Ferraz, que agencia a carreira do atacante, em entrevista ao “ge”. Clayson foi contratado junto ao Corinthians por R$ 4 milhões e tem contrato até o fim de 2022. O Esquadrão não descarta negociar o atleta caso apareça uma boa proposta.

 

“Clayson tem sido muito procurado por clubes do Brasil e do exterior. É um atleta vitorioso em todos clubes que passou, inclusive antes de chegar ao Bahia foi campeão no Corinthians, sendo um Brasileiro, liderando assistências na competição, e bicampeão paulista, sendo protagonista e decisivo nos mata-matas. Tenho algumas propostas em mãos e estou internamente com o clube definindo algumas situações. Diante disso, ele não retornou com o grupo ontem, que marcou o início do grupo principal na temporada 2021. Minha relação com o presidente Guilherme Bellintani, do Bahia, é a melhor possível. Esperamos em breve decidir sobre o curso das propostas e o destino do jogador, sendo algo bom para o seu futuro e para o Bahia”, comentou o empresário do jogador.

Questionado sobre a ausência na reapresentação, Clayson falou que em comum acordo com o Bahia, ficou definido que ele faria um trabalho à parte de fortalecimento muscular antes de me apresentar com o grupo.

“Em comum acordo com o Bahia, ficou decidido que eu faria um trabalho à parte de fortalecimento muscular antes de me apresentar com o grupo. Mesmo assim, tenho ido ao clube todos os dias, inclusive, na última terça-feira e nesta quarta-feira, estive nas dependências do CT. Tenho feito trabalhos internos e mantido a forma física, mas sem ser relacionado para os jogos. Nos dias de jogos, também realizo atividades estabelecidas pelo clube”, revela.

Em 42 partidas com a camisa do Bahia, ele contribuiu com três gols e três assistências. Ele reconhece que ficou devendo. “Reconheço, sim, que não tive um ano como esperava. Isso não me deixa satisfeito, pois queria muito dar alegria para essa torcida, mesmo que não tenha nunca faltado empenho, e que em alguns jogos ainda pudesse dar passes decisivos, assistências ou fazer gols. Mas o que aconteceu comigo não foi algo isolado, pois no futebol ninguém ganha e ninguém perde nada sozinho. Foi uma temporada ruim para todo o elenco, e me incluo nisso”, disse.

 

Comentários:

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*