“Temos que jogar como se fosse a última partida da vida”, diz Ramírez

"Temos que seguir nos preparando para que as coisas aconteçam bem", disse.

Foto: Felipe Oliveira / EC Bahia

Nesta terça-feira (12), dia de reapresentação do elenco Tricolor no CT Evaristo de Macedo, o meia Juan Pablo Ramírez foi entrevistado e falou sobre o rendimento da equipe nos últimos dois jogos contra Grêmio e Atlético Goianiense, os primeiros de 2021, porém, valendo pela edição 2020 do Campeonato Brasileiro. O Esquadrão perdeu para o time gremista em Porto Alegre por 2 a 1, e empatou com o Atlético-GO em Goiânia por 1 a 1, mantendo o jejum agora de oito jogos sem vencer no Brasileirão, com sete derrotas e um empate.

 

“Bem, creio que não estamos mal, não estamos ganhando as partidas. Algumas partidas não ganhamos, não conseguimos três pontos, mas temos que seguir trabalhando. Futebol é assim. Temos que seguir nos preparando para que as coisas aconteçam bem e para que possamos, na próxima partida, somar três pontos importantes para sair da zona de rebaixamento, que é o mais importante nesse momento”.

O Bahia volta a campo no dia 20 de janeiro, contra o Athletico-PR, na Arena Fonte Nova. O colombiano destacou que é preciso tratar todos os jogos como uma final, como se fosse a última partida da vida, para reverter a situação. “Pela posição que estamos nesse momento, na zona de rebaixamento, é indiscutível que temos que jogar todas as partidas como uma final, como se fosse a última partida da vida. Acredito que é importante sempre pensar que a próxima partida é a última, jogar como uma final. Me ensinaram isso quando eu era pequeno e tenho isso na cabeça. Seguir trabalhando, fazendo as coisas bem, pensar em nós mesmos, somar pontos. Dependemos de nós mesmos”.

Sobre o posicionamento em campo, Ramírez frisou que prefere ficar mais próximo da área adversária. “Pessoalmente, me sinto mais a vontade mais perto da área. criando jogadas de gol mais perto da meta adversária. me sinto com mais confiança, mais tranquilo próximo da meta adversária”.

 

 

 

Deixe seu comentário!

1 Comentário

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*