Ernando afirma que atuar lateral não é uma novidade na sua carreira

"Para a crônica esportiva aqui da Bahia foi novidade", disse

Foto: Felipe Oliveira / EC Bahia

Vetado pelo departamento médico, com um incômodo na coxa, Nino Paraíba ficou de fora do jogo contra o Vasco e deu lugar ao zagueiro Ernando, que foi improvisado no setor e teve atuação destacada, dando mais segurança ao setor defensivo e ajudando no ataque, com a assistência para o gol do atacante Gilberto no triunfo por 3 a 0 em Pituaçu. Em entrevista concedida nesta quinta-feira, o defensor afirmou que, para ele, a lateral direita não é nenhuma novidade.

 

– Para a crônica esportiva aqui da Bahia foi novidade, talvez uma surpresa, mas em outros clubes já joguei de lateral-esquerdo, de direito. No Bahia, foi a primeira vez. Pelo fato de o Mano me conhecer de jogar contra, ele optou por me botar na lateral. Para ter um pouco de estatura na bola parada também. Deu certo. Nossa equipe teve uma eficácia boa nessas jogadas de falta lateral, escanteio. Nossa equipe atacou bem a bola. E, na parte ofensiva, pude chegar bem na linha de fundo e dar uma assistência para o Gilberto, um gol que deu tranquilidade. Ainda no primeiro tempo, fizemos o terceiro e conseguimos um triunfo importante – afirmou.

Ernando não vê problema em seguir jogando na lateral-direita.

– Não vejo problema. Sempre deixei claro que minha função principal é zagueiro, gosto de jogar de zagueiro. Se ele optar por mim no lado direito, vou estar à disposição, tentar fazer meu melhor. Nos treinamentos, ele vai me posicionando, como ele quer que eu fique e, aos poucos, a tendência é só melhorar – disse.

Antes de enfrentar o Vasco, o Bahia acumulava 12 partidas consecutivas sofrendo gols na Série A.

– Nossa equipe vinha fazendo bons jogos, mas, infelizmente, tomando muitos gols, você acaba desequilibrando a equipe. Você fica com receio de fazer jogadas ofensivas, porque não tem o respaldo na defesa para que o pessoal da frente tenha tranquilidade. Então, não sofrendo gols e oferecendo o equilíbrio para que o Douglas não precise trabalhar tanto, é fundamental para que a gente possa estar mais próximo dos triunfos. Não sofrendo gols, a proximidade dos resultados positivos é natural. A gente espera diminuir essa média de gols, que está alta. Para isso acontecer, é trabalho – disse Ernando.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*