Uma análise dos primeiros adversários da dupla Ba-Vi nas Séries A e B deste ano

Vitória enfrenta o Sampaio Corrêa, e o Bahia estreia contra o Botafogo

Recentemente a CBF confirmou que tanto a Série A quanto a Série B do Campeonato Brasileiro deste ano terão início no segundo final de semana de agosto. Mas, ainda que inicialmente essas duas competições estivessem previstas para começar na primeira semana de maio, a fórmula de disputa manteve-se inalterada: os 20 clubes de cada divisão se enfrentarão entre si em turno e returno, totalizando, portanto, 38 rodadas para ambos os campeonatos.

E, apesar de ambas as competições começarem aproximadamente três meses depois do previsto – o que fará com que terminem apenas em 2021 –, a ordem dos jogos de cada equipe é rigorosamente a mesma que havia sido anunciada pela CBF ainda em fevereiro. Assim, o Vitória estreará jogando em casa contra o Sampaio Corrêa enquanto o Bahia estreará fora de casa contra o Botafogo.

Vitória x Sampaio Correa

O adversário do Vitória na primeira rodada da Série B de 2020 será o mesmo clube que eliminou o Rubro-Negro nas quartas de final da Copa do Nordeste de 2018. Na ocasião, o Sampaio Corrêa venceu o primeiro jogo em casa por 3 x 0 e, na volta, segurou o empate de 0 x 0 no Barradão. O grande destaque desta segunda partida foi o goleiro do Tricolor de São Luís, Andrey, que, como pode ser visto em matéria do Imirante.com, viria a ser eleito o craque do Nordestão 2018, conquistado pelos maranhenses.

Porém, no mesmo ano o Sampaio Corrêa foi rebaixado para a Série C do Brasileirão, embora já em 2019 tenha conquistado novamente o acesso à Série B. Isso por si só já sugeriria um favoritismo para o Vitória, ainda mais porque o jogo será realizado no Barradão. Mais relevante do que isso, no entanto, é o fato de que nos últimos meses muitos atletas que vinham sendo peças importantes da equipe maranhense deixaram o clube, dentre eles o meia Joãozinho, o lateral-direito Everton Silva e o próprio Andrey.

Botafogo x Bahia

O Campeonato Carioca retornou ainda em junho e, após se classificar para as semifinais da Taça Rio, o Botafogo foi eliminado pelo Fluminense no último dia 5 de julho. O clássico terminou num empate de 0 x 0, mas o Tricolor das Laranjeiras se classificou à fase seguinte por ter feito uma melhor campanha no segundo turno. Assim, quando o Botafogo enfrentar o Bahia no estádio Nilton Santos no próximo dia 9 de agosto, os cariocas já terão tido mais de um mês de preparação para esse confronto.

Até aqui, o último encontro entre Botafogo e Bahia foi no Brasileirão do ano passado, quando o Tricolor venceu por 2 x 0 na Arena Fonte Nova. Tal resultado foi mais que condizente com as cotações de sites de apostas esportivas online como o da Betway, que ofereciam um retorno de 1.667 por uma vitória dos donos da casa. Certamente esses analistas levaram muito em conta que, antes daquela partida, o Bahia tinha a sexta melhor campanha da Série A como mandante.

Desde então, muita coisa mudou no Botafogo, que não conta mais com jogadores como Diego Souza e Rodrigo Pimpão. Em compensação, recentemente o clube trouxe dois veteranos estrangeiros com passagens por grandes clubes da Europa: o japonês Honda e o marfinense Kalou. Tais contratações foram feitas, em parte, pela possibilidade de atração de sócios-torcedores e de venda de produtos diversos. E essas perspectivas se tornam ainda mais importantes para o Botafogo se levarmos em conta que desde março o clube não conta mais com seu antigo patrocinador master Azeite Royal, que decidiu rescindir o contrato que tinha com os quatro grandes do Rio de Janeiro, como comenta matéria do portal Lance.

Perspectivas para a dupla Ba-Vi

Como se vê pelo atual momento dos primeiros adversários de Bahia e Vitória no Brasileirão deste ano, o cenário ainda é de muitas indefinições no futebol brasileiro. De qualquer maneira, não seria otimismo demais esperar por parte do Bahia uma campanha sem maiores sustos na Série A e, por parte do Vitória, uma maior consistência nos jogos em casa, a fim de lutar por uma das quatro primeiras posições na Série B. De qualquer forma, tudo vai depender muito também do quanto o Tricolor de Aço e o Leão da Barra conseguirão se acostumar a jogar sem o apoio de suas torcidas, as quais estão, sem dúvida, entre as mais apaixonadas do Brasil.

Por: André Branco

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*