Presidente do Flamengo pode assumir papel de destaque no governo Bolsonaro

A sondagem teria sido iniciada pelo ministro das Minas e Energia

Aliado de primeira hora do presidente Jair Bolsonaro, além disso, usado recentemente como ferramenta e arma do governo na luta particular contra a Rede Globo para a criação da MP dos direitos de transmissão, o atual presidente do Flamengo Rodolfo Landim, poderá integrar o atual governo, que, aliás, é pessimamente avaliado. De acordo o site Poder360, nesta quarta-feira (8), o ministro da economia Paulo Guedes está conversando com o cartola neste sentido. A sondagem teria sido iniciada pelo ministro das Minas e Energia, Bento Albuquerque, a pedido de Guedes. Formado em engenharia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) em 1979, Landim trabalhou na Petrobras por 26 anos e é considerado uma autoridade no setor de óleo e gás.

 

Ainda de acordo o site, presidente do Flamengo tem resistido a assumir um papel de destaque no governo Bolsonaro, do qual já é um conselheiro. Ele quer seguir no comando do clube carioca, e conciliar as duas funções poderia ser um empecilho difícil de superar.

O setor de óleo e gás tem sido uma das maiores decepções da equipe de Guedes, já que o barateamento do custo do gás trouxe poucos resultados para fazer o Brasil crescer antes mesmo da pandemia, enquanto o pré-sal não é visto como viável por empresas da área.

Landim foi notícia há algumas semanas, quando foi a Brasília para um encontro com Bolsonaro. Dias depois, o presidente editou uma medida provisória que dava o direito de transmissão de jogos de futebol ao clube mandante, pleito da atual gestão do Flamengo. Como resultado, a Rede Globo rescindiu o seu contrato para transmitir o restante do Campeonato Carioca deste ano.

2 Comentário

  1. Vagabundo ganancioso,vai estar no lugar certo, um sujeito q só quer pisar em todos os clubes por e se acha q ninguém mais tem direito a nada só o time dele ganancioso q n paga as famílias e quer reduzir os salários dos jogadores outra vez e quer gastar milhões com reforço, quer cobrar ressarcimento do governo onde n tem direito, vai lá fazer suas cagadas lá tbm, até pq o q tem de gente lá fazer cagadas n da nem pra contar.

Comentários não permitidos.