De saída da China, Hulk revela procura de clubes do futebol brasileiro

Palmeiras mantém esperança em contar com o atacante em 2021

Foto: VCG/VCG via Getty Images

Com contrato até o fim de 2020 com o Shanghai SIPG, o atacante Hulk já havia declarado o desejo de retornar ao futebol brasileiro em 2021, inclusive ao Palmeiras, clube pelo qual nunca escondeu ser torcedor. Nesta terça-feira, em entrevista ao site Globoesporte, o jogador de 33 anos afirmou que permanecerá na China e que já tem sido procurado por clubes do futebol brasileiro e de outros países. Segundo o portal, o Palmeiras mantinha Hulk no radar e o último contato foi há três semanas, quando surgiu o interesse do Al Duhail, do Catar, por Dudu. Com a saída do camisa 7, o Verdão pretende intensificar as conversas com Hulk, que começou a carreira atuando no Vitória antes de deixar o Brasil.

 

Em 16 de fevereiro deste ano, o atacante esteve em um camarote da arena do Palmeiras para acompanhar a vitória sobre o Mirassol, pelo Campeonato Paulista. Dois dias depois, ele visitou a Academia de Futebol e tratou da possibilidade de seus filhos, que atualmente moram em São Paulo, treinarem nas categorias de base do clube. Além do coração, um dos trunfos do Palmeiras é João Paulo Sampaio, coordenador geral da base. O hoje dirigente foi treinador de Hulk nas divisões inferiores do Vitória – e também o responsável por transformar o então lateral em atacante, antes de ele ser promovido ao time profissional e fazer carreira no exterior.

Paraibano nascido na cidade de Campina Grande, Hulk começou na base do Serrano-PB e passou também pelas bases de Vilanovense FC (Portugal) e São Paulo, mas só se profissionalizou no Vitória, no entanto, fez apenas 2 jogos em 2004 e foi vendido ao Kawasaki Frontale, do Japão. Em seguida, defendeu outros times no futebol japonês como Consadole Sapporo e Tokyo Verdy, onde se destacou em 2007 e foi comprado pelo Porto-POR.

Em 2008, chegou ao Porto e permaneceu em Portugal até 2013. Naquele ano, foi vendido por 60 milhões de euros ao Zenit, da Rússia, chegando à Copa do Mundo de 2014 como um dos nomes badalados da Seleção Brasileira. Em 2016, mudou-se novamente, agora para a China, pela quantia de 70 milhões de euros, para defender o Shanghai SIPG e se destaca como um dos principais jogadores.

 

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*