Clubes da Série D pedem nova ajuda à CBF e que não haja punição para desistência

"Todos os clubes foram severamente afetados pela pandemia"

Nesta quinta-feira, a Confederação Brasileira de Futebol divulgou um novo calendário e anunciou o início da Série D do Campeonato Brasileiro para o dia 6 de setembro (fase preliminar) e 20 de setembro (fase de grupos), e a data de 7 de fevereiro para o encerramento. No entanto, os 68 clubes participantes enviaram um documento à CBF solicitando uma nova ajuda financeira de R$ 120 mil. Esse valor foi repassado anteriormente, com o intuito de contribuir para o pagamento dos salários de abril e maio. Além disso, pedem para que os times desistentes da competição não sejam punidos. A carta é assinada pelo presidente do Marcílio Dias, Lucas Brunet.

 

“Todos os clubes foram severamente afetados pela pandemia, perdendo receitas importantes para se manter, como patrocinadores e sócios-torcedores. Entre as medidas de compensação aos Clubes solicitadas no requerimento está a doação, em caráter emergencial, de mais uma parcela de R$ 120 mil a cada clube participante, já que a parcela anterior aportada pela CBF, de mesmo valor, era para o prazo de 60 dias, já esgotados”, afirmam os times.

O documento também pede para que os times que desistam de disputar a Série D, não sejam punidos, pois já sofrem com graves problemas financeiros. “Com a crise financeira instaurada pela pandemia, muitos Clubes alegam não possuir mais condições de participação na competição. Neste sentido, a carta solicita também que a CBF conceda o direito de desistência de participação, sem punição futura, aos Clubes que encontram-se em extremas dificuldades financeiras”, dizem.

Em busca de novos recursos financeiros, os clubes também pedem para recebem o aval para que posam negociar os direitos de transmissão dos seus jogos na Série D. E apelam para que a CBF adquira placas de publicidade nos estádios, sob a garantia que os recursos obtidos seriam utilizados exclusivamente para o pagamento de salários.

 

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*