Meia conta detalhes dos bastidores da saída de Roger Machado no Grêmio

Treinador comanda o time do Bahia há mais de um ano

Roger Machado fez história no Grêmio como jogador, conquistando três Copas do Brasil (1994, 1997 e 2001), quatro estaduais (1995, 1996, 1999 e 2001), a Taça de Libertadores de 1995, além da Recopa Sul-Americana e do Brasileirão de 1996, e teve a oportunidade de treinar a equipe gremista em 2015-2016 após passagens por Juventude e Novo Hamburgo, no entanto, não teve o mesmo sucesso dos tempos de atleta. Acabou sendo demitido após derrota de 3×0 para a Ponte Preta, fora de casa, pelo Brasileirão de 2016, e depois passou por Atlético-MG e Palmeiras antes de acertar com o Esporte Clube Bahia, onde está atualmente e tem todo respaldo da diretoria.

Em live do ex-meia gremista Douglas com o jornalista do Grupo RBS, Duda Garbi, na última quarta-feira, o camisa 10, atual jogador do Brasiliense, elogiou o treinador e lamentou que, naquele momento, as vitórias tenham parado de vir mesmo quando o time jogava bem e criava muitas oportunidades, mas não conseguia traduzir em gols.

“O nosso time não conseguiu mais jogar. Criávamos pra c…, os gols não aconteciam e os outros times faziam. Isso te tira a confiança. A gente joga bem, mas perde ou empata. Perdemos para o Coritiba lá e o Roger falou que não dava mais pra ele. Ficou. Aí pegamos o Palmeiras em casa depois, massacramos e não ganhamos, ficou no 0x0. Você se frustra muito”, disse, antes de lembrar a fatídica partida em Campinas:

“E fomos jogar contra a Ponte, outra sacolada e ele falou que não conseguia mais. Ele nos dizia: “Eu quero ajudar, mas não consigo. Não consigo tirar mais nada de vocês, então é melhor dar espaço pra outro”. E aí ele saiu”, explicou.

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*