Dados de Neymar são usados para pedido de auxílio de R$ 600 ao governo

o estafe de Neymar afirma que o jogador jamais solicitou o benefício

Foto: AFP

Nesta quinta-feira (04), o presidente Jair Bolsonaro anunciou a prorrogação do auxílio emergencial em mais duas parcelas de R$ 300 reais, no entanto, muitas pessoas que realmente precisam, sequer receberam ainda a primeira parcela ou ainda nem foram aprovadas. Por outro lado, segundo o Tribunal de Contas da União (TCU), mais de 8 milhões de pessoas podem ter recebido indevidamente o auxílio, enquanto 11 milhões de pedidos ainda aguardam análise. O Governo Federal se preocupa com o pagamento indevido a pessoas que não precisam receber e omitem dados ao se cadastrar. A desorganização do programa provocou mais um escândalo: Neymar, jogador milionário que atua pelo Paris Saint-Germain teve autorizado pedido para ingressar como agraciado pelo benefício.

 

O portal UOL destaca que “alguém utilizou o CPF e os dados de Neymar para solicitar à Caixa Econômica Federal o auxílio emergencial de R$ 600 reais para trabalhadores informais durante a pandemia do novo coronavírus. A solicitação chegou a ser aprovada e a entrar no cronograma de pagamentos, mas, no momento da publicação da reportagem, havia sido congelada e apresentava o status “em avaliação”, por indícios de desconformidade com os requisitos.”

A matéria ainda informa que “o estafe de Neymar afirma que evidentemente o jogador jamais solicitou o benefício, e desconhece quem possa tê-lo feito. Os representantes do jogador desconheciam a existência da solicitação até serem contatados pela reportagem.”

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*