Futebol brasileiro pode retornar em junho, afirma Secretário da CBF

“Podemos ter sim só jogos com portões fechados", disse

Após 1.179 mortes em apenas 24 horas, o Brasil ultrapassou a casa dos 18 mil óbitos por causa do novo coronavírus que se apresenta no seu momento de pico. Mesmo com o cenário preocupante, ainda existe uma mobilização para a retomada do futebol o mais breve possível. A primeira tentativa era de que os jogos retornassem neste mês de maio, porém, quase a totalidade dos clubes – excluindo algumas exceções – descartaram a ideia. As Federações também divergem sobre o assunto, enquanto os Estados sequer recomendam ou autorizam a volta dos treinamentos presenciais, ainda assim, alguns clubes já treinam em seus CT’s, respeitando o isolamento social.

 

Com o avanço da covid-19, o futebol brasileiro segue sem uma previsão de retorno, no entanto, o secretário-geral da CBF, Walter Feldman, disse que existe a possibilidade dos jogos retornarem entre o fim de junho e início de julho, com portões fechados. Em entrevista à agência Reuters, o dirigente afirmou que se inspira na Alemanha para que os campeonatos voltem a ser disputados no país.

“Parar foi necessário e voltar é possível. Esse é o grande aprendizado com o retorno do [Campeonato] Alemão… a Alemanha é uma ótima sinalização”, afirmou Feldman, apontando um processo rígido de restrições como um caminho inicial e com possibilidade dos jogos retornarem no final de junho.

“Podemos ter sim só jogos com portões fechados… em países a epidemia vai e volta, tem novas ondas. Aglomerações mesmo só com vacina e controle absoluto. Dependendo da curva da doença aqui no país… mais um mês ou um mês e meio após o pico. Maio abre portas, junho abre outras adicionais e não duvido quem em junho, com a volta dos treinos, protocolo sustentado e possibilidade de flexibilização das autoridades de saúde, o futebol possa voltar com restrições”, disse.

Na análise de Walter Feldman, maio se apresenta como o mês mais caótico no registro de casos do coronavírus no Brasil. Para ele, a partir de junho os a curva de contaminação pela doença vai apresentar queda e será possível traçar o futuro do esporte.

“Maio é o período mais dramático da doença e vamos ver as portas que vão se abrir em junho… o aprofundamento da crise, agora, significa que logo em seguida deve vir o abrandamento”, afirmou Feldman, apontando o retorno de algumas equipes aos treinos como um sinal de que as atividades podem ser retomadas. “O ensaio da perspectiva de treinamento é um ensaio para a volta (do futebol)”, disse.

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*