Com situação indefinida, atacante e lateral podem deixar o Bahia

Giovanni não fica no Bahia; Arthur Caíke interessa, mas situação é incerta

Contratado em julho de 2019 para fazer sombra a Moisés, o lateral-esquerdo Giovanni sofreu uma lesão no tendão de Aquiles e não atua desde o fim da última temporada. Entrou em campo apenas 10 vezes no ano passado, pelo Campeonato Brasileiro. O contrato do jogador se encerra no dia 31 de maio e não há nenhuma movimentação para que ele permaneça. Além disso, no início do ano, a diretoria buscou as contratações de Juninho Capixaba e Zeca para a posição. Outro que pode deixar o Esquadrão é Arthur Caíke, que pertence ao Al Shabab, da Árabia Saudita, e está emprestado até 30 de junho. No caso do atacante, a diretoria tricolor tem interesse na permanência, porém, apenas se houver possibilidade de prorrogar o empréstimo, já que diante da crise do coronavírus, o clube não fará investimentos.

 

O presidente Guilherme Bellintani admitiu que o Bahia trabalha para tentar prorrogar o empréstimo. Em entrevista ao Instagram do site ‘BNews’, Bellintani reiterou o desejo na manutenção do jogador, porém, disse que ainda não tem notícia. “A gente está conversando com o clube árabe pra ver sobre a possível renovação, mas não temos notícia ainda”, revelou o dirigente. Arthur Caíke soma 54 jogos pelo tricolor e 9 gols marcados.

Revelado pelo Iraty e com passagens por Paraná, Coritiba, Londrina e Flamengo, Arthur Caíke chegou ao futebol árabe em agosto de 2018 e, até janeiro de 2019, marcou 6 gols em 15 jogos. A transferência internacional aconteceu após ser um dos principais nomes da Chapecoense por uma temporada e meia, com título catarinense e vaga à Taça Libertadores, em 2017.

Natural de Barbalha (CE), Arthur Caíke do Nascimento Cruz também se destacou no Santa Cruz, em 2016, quando eliminou o Bahia na semifinal da Copa do Nordeste e levantou o caneco regional, assim como o Pernambucano. Ele também foi um dos destaques da Série B de 2014, pelo Atlético Goianiense, terminando a competição entre os cinco maiores artilheiros do campeonato, com 12 gols.

Natural de Santos-SP, Giovanni Palmieri dos Santos, de 30 anos, surgiu nas divisões de base do Noroeste e acumula passagens por Botafogo-SP, Guaratinguetá, Criciúma, Fluminense, Náutico, América-MG. Antes de chegar ao Bahia, estava defendendo a Ponte Preta no Campeonato Brasileiro da Série B. Ele é irmão do também lateral-esquerdo Emerson Palmieri, do Chelsea.

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*