“A luta agora é para ter a menor perda de receita”, diz presidente do Bahia

"coronavírus coloca por terra qualquer hipótese de crescimento"

No início do ano, o Esporte Clube Bahia projetou um faturamento de R$ 180 milhões para a temporada 2020, no entanto, com a suspensão por tempo indeterminado de todas as competições no futebol brasileiro devido a pandemia do coronavírus, a previsão muda diante da queda nas receitas do Esquadrão, como de todos os outros clubes. Em entrevista ao “Podcast45”, o presidente Guilherme Bellintani afirmou que a pretensão em 2020 era aumentar em até 5% a receita e chegar perto dos R$ milhões, no entanto, agora a luta é para ter a menor perda de receita e a maior redução possível de despesa.”

 

“Em 2020, tínhamos a pretensão de repetir a receita ou crescer em torno de 4% ou 5% e chegar perto de 200 milhões. O coronavírus chegou no meio de março e coloca por terra qualquer hipótese de crescimento. A luta agora é ter a menor perda de receita e a maior redução possível de despesa.”, disse ao Podcast45. 

Em março, ao SporTV, o presidente já havia admitido que dificilmente o clube chegará nos R$ 180 milhões de faturamento. “Nosso projeto de faturamento nesse ano é de R$ 180 milhões, mas acho difícil que chegue em 200 ou até nesses R$ 180 milhões. Dobramos nos últimos dois anos nosso faturamento, pretendemos continuar crescendo. Se for algo rápido essa pandemia, o que não é indicado agora, até conseguiríamos manter o orçamento, mas acho difícil. Haverá queda não só do Bahia, mas de todos os clubes”, analisou Bellintani, em março, ao SporTV.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*