Assim como o Bahia, Athletico se assusta com valores de Rodriguinho

Clube paranaense se assusta com pedida salarial

A possibilidade do Bahia contratar o meia Rodriguinho é reduzida pela complexidade financeira da transação. Jogador caro de aquisição, salário enorme (especula-se cerca R$ 700 mil por mês), sem falar dos R$ 16 milhões que o Cruzeiro está querendo para liberar o jogador, buscando diminuir o prejuízo da dívida que tem com o Pyramids, que chega aos R$ 30 milhões. O valor é inviável e o clube mineiro sabe que nenhum dos seis clubes brasileiro interessados no atleta irá pagar a quantia. Por outro lado, a Raposa precisa se livrar do jogador que tem vencimentos enormes e não aceitou a readequação salarial (de R$ 150 mil). De acordo com informações da jornalista Nadja Mauad, do Grupo Globo, além do Bahia, outro clube interessado em Rodriguinho é o Athletico-PR, no entanto, os valores salariais, assim como aconteceu com o Bahia, assustaram inicialmente.

 

Assim, o futuro de Rodriguinho segue indefinido. O certo é que jogador não continuará no Cruzeiro, não apenas pelo alto salário, como também pelo seu desinteresse de disputar a divisão intermediaria do futebol brasileiro e recebendo um salário MUITO abaixo do que recebia em 2019. Outros segmentos da imprensa esportiva, agora de São Paulo, garantem que o jogador está é mesmo trabalhando para voltar ao Corinthians, clube que passou recentemente com sucesso, conquistando dois títulos brasileiros. Os torcedores do clube paulista se animaram com a possibilidade de um retorno, no entanto, o jogador não está na mira da diretoria corintiana, ainda que tenha amizade com o presidente Andrés Sanchez.

De acordo com o Portal UOL, a diretoria do Bahia pretendia assumir apenas as dívidas do clube mineiro com o jogador, referente a salários e outras pendências com atraso. Apesar do interesse, o Esquadrão não irá entrar em leilão pelo meia e aguarda um desfecho do caso para voltar a negociar com o jogador. Vale lembrar que o Cruzeiro tem interesse no empréstimo do meia Régis.

Natural de Natal, Rodrigo Eduardo Costa Marinho tem 31 anos e surgiu nas divisões de base do ABC, onde se profissionalizou. Acumula passagens ainda por Bragantino, América-MG, Grêmio, Al Sharjah dos Emirados Árabes Unidos, Pyramids FC do Egito, mas foi no Corinthians onde teve seu melhor momento na carreira. Após primeira passagem apagada pelo Timão em 2013, retornou em 2015 sendo peça importante na conquista dos títulos do Campeonato Brasileiro de 2015 e 2017. Ficou no Parque São Jorge até 2018, quando foi negociado com o clube do Egito, mas voltou ao futebol brasileiro em 2019 contratado pelo Cruzeiro.

 

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*