Bahia recebe nova proposta pelo volante Gregore, revela empresário

Gregore tem contrato com o Bahia até o final de 2021

Foto: Felipe Oliveira / EC Bahia

Após recusar uma proposta que girava em torno de R$ 17 milhões por 80% dos direitos econômicos do volante Gregore, o Esporte Clube Bahia tem na mesa uma nova oferta e existe uma negociação em andamento, de acordo com informação de Edson Khodor, empresário do jogador, porém, os detalhes são mantidos em sigilo. O atleta de 26 anos tem vínculo até o final de 2021 com o Esquadrão, que detém 90% dos direitos econômicos. Destaque do time em duas temporadas, o volante já disputou 116 jogos pelo Esquadrão de Aço (63 em 2018 e 51 em 2019, além dos dois esse ano). No futebol brasileiro, Flamengo, Grêmio e Palmeiras demonstraram interesse em Gregore, no entanto, o único clube que fez uma proposta foi o Seattle Sounders, dos Estados Unidos.

 

“Não vamos abrir e nem posso. Deixa fechar primeiro ou continuar no Bahia. Estamos em negociação”, disse Edson Khodor, à página Info Bahêa.

Antes de virar alvo dos americanos, Gregore recebeu sondagens de clubes do futebol brasileiro. O primeiro foi o Flamengo, que chegou a iniciar conversas com o empresário do jogador, antes do Mundial de Clubes. Depois foi o Grêmio quem sinalizou com uma investida no atleta de 26 anos, com a possibilidade de negociar e compor um acordo para que o Bahia mantenha um percentual dos direitos econômicos do volante. O terceiro a entrar na briga pela contratação foi o Palmeiras, por indicação do técnico Vanderlei Luxemburgo que retornou ao clube para sua quinta passagem. No entanto, após fechar 2019 com um deficit, o clube paulista fechou os bolsos e não deve fazer contratação para o primeiro semestre, apostando na base.

Gregore chegou ao Bahia como uma aposta após defender o Santos no Campeonato Brasileiro de Aspirantes em 2017, emprestado pelo São Carlos-SP até o final de 2018, no entanto, despontou rápido o que fez com que a diretoria tricolor adquirisse o seu passe em definitivo em maio do ano passado, desembolsando R$ 1 milhão por 50% dos direitos econômicos. Depois, o Bahia acabou comprando mais 40% dos direitos econômicos do camisa 26 (sem revelar valores) passando a ter 90% dos direitos. Seu contrato com o Esquadrão de Aço é válido até 2021.

 

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*