Roger apresentou muito menos do que a torcida do Bahia ambiciona e merece

Roger Machado não entregou nada além do ''feijão com arroz''

Foto: Peter Leone/Ofotográfico/Folhapress

Antes de apresentar meus argumentos, parabenizo as últimas administrações do Bahia (Marcelo Sant’Ana e Guilherme Bellintani), pois é inegável que nosso clube vem avançando de forma consistente dentro e fora de campo, o Bahia é Gigante! Dito isto, voltemos aos fatos, a conclusão é a que Roger Machado apresentou um trabalho apenas mediano, não entregou nada além do ”feijão com arroz”. Apesar do treinador por vezes arrotar que, sob seu comando, o time estava com a melhor campanha de sua história no brasileirão de pontos corridos, isso não se confirmou. Deixo uma ressalva de que nunca compactuei com a citada fala do técnico, pois fazia, ou insinuava, parecer que ele era maior que o tricolor.

 

Se utilizarmos da mesma compreensão resultadista de Roger, a coisa fica ainda pior, tendo em vista que o atual é o melhor elenco do Bahia nos pontos corridos, ou seja, ele fez menos com mais. Também não podemos ignorar as eliminações precoces da Copa do Nordeste e da Copa Sul’Americana, fatores que permitiram ao treinador concentrar todas as forças e objetivos no campeonato brasileiro (fora alguns jogos da Copa do Brasil). O time esteve mais inteiro e com foco único no brasileirão, cenário tão importante que o melhor desempenho se deu justamente no primeiro turno, inclusive com o Bahia mais bem posicionado na classificação do que neste decepcionante término.

Não menos importante é preciso pontuar que o clube vive seu mais bem ajustado momento estrutural, dado que o orçamento, que muitas vezes corrói pretensões, está equilibrado, há estrutura de centro de treinamento, marketing, presença da torcida e etc. Ficou óbvio que o treinador perdeu o apoio e a confiança do grupo no decorrer do segundo turno. O comandante demonstrou ser um técnico de tiro curto, sem grandes variações táticas e sem o traquejo necessário para inovar o repertório em campo, não passou de um músico de uma nota só. Quem não sabia que a única jogada do Bahia era com o Artur pela direita? O que falar das tediosas alterações de Gilberto por Fernandão? Élber por Arthur Caíke? Nenhuma surpresa.

Muito embora tudo isso já dito, o ponto principal de discordância com a possível permanência do treinador para 2020 é sua rejeição com a base. Roger Machado não utilizou nenhum jogador da base o campeonato inteiro! Será que não existe um único jogador do time de transição que tenha feito por merecer 5 minutos no time principal? Se não há, para que serve? Roger ainda queimou Ramires e barrou Marco Antônio até não ter mais opção, mesmo a torcida inteira gritando e pedindo o jogador, insistiu com o fraquíssimo Moisés até o último jogo, contudo não deu dez minutos de jogo para um jovem da base. Sei que muitos torcedores pensam que o brasileirão não é o momento para testar a base, então quando? Se faltam opções no time principal, que mal há em testar a base? Vai insistir com Rogério, Fernandão, Shaylon, Guerra e Lucca até a derrota? Como o Bahia manterá um técnico que não dá oportunidade para a prata da casa? Uma das metas da diretoria é o aumento das receitas com a venda de jogadores, porém como auferir renda com venda de jogadores se o treinador não dá oportunidades para que novos talentos sejam revelados?

Neste ponto cabe uma critica à diretoria do Bahia, é notória a mudança de perfil dos contratados, o clube passou a apostar em jogadores veteranos que não atravessam boa fase, postura que se mostrou catastrófica, pois, além de não performarem, são caros, cheios de manias e não são ativos do clube para futuras negociações. Notem que o clube vinha investindo em jogadores que se destacavam na série B ou em clubes menores, eram jogadores com potencial de crescimento e valorização, jogadores com gana de vencer, corriam e se dedicavam, atletas, em sua maioria jovens, que sabiam que precisavam fazer sua carreira. Gregore é um ótimo exemplo de jogador com o perfil que o Bahia deve buscar. Reconheço que a experiência de um jogador veterano é importante e não deve ser diminuída, porém o que se viu este ano, principalmente para o ataque, foram contratações de refugos, jogadores veteranos e encostados.

A torcida tricolor quer o foco do clube para 2020 seja mais excelente do que aquilo que pareceu confortar o técnico durante a campanha de 2019, nós ambicionamos e merecemos mais do que Roger Machado.

Márcio Peixoto Andrade, torcedor do Bahia e colaborador do Futebol Bahiano.

 

 

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*