É hora de Ramires reaver a boa fase no Bahia e mostrar o seu potencial

"seu rendimento caiu, muito em virtude de não ter tido férias"

Quando Eric Ramires surgiu contra o Sport em setembro de 2018, convocado pelo então técnico do esquadrão Enderson Moreira, não demorou muito para o garoto franzino e lépido se destacar no Bahia, com apenas 18 anos mostrou pra que veio logo de cara, estreando num clássico regional e no maior campeonato do Brasil, sendo considerado o melhor em campo naquela ocasião, sem sentir o peso da camisa. Seguiu fazendo um campeonato irrepreensível no restante da temporada, sendo um dos destaques do time e uma grande revelação do futebol do Brasil, o que lhe rendeu uma convocação para a seleção brasileira de novos além de gerar muita especulação em grandes europeus e do Brasil para contar com o seu futebol.

 

Sem férias, voltou para o Bahia cercado de expectativas no ano de 2019, num bom trabalho de manutenção do atleta muito bem feito pela diretoria diante das propostas recebidas de clubes do Brasil e exterior, dando tranquilidade ao atleta no seguimento do seu trabalho no clube. Contudo, seu rendimento caiu, muito em virtude de não ter tido férias e por de ter sido por muitas vezes escalado em posição diferente da que joga além de ser cobrado mais defensivamente que ofensivamente, etc., o que colaborou com uma queda brusca em campo, mas sempre atuando com disposição em todas as partidas.

A torcida do esquadrão, por cultura, tende a cobrar em excesso as crias da divisão de base e esperava muito mais do garoto Eric nessa temporada. Creio que nesse quase um ano entre os profissionais é normal a oscilação de um garoto vindo da base, já conhecido pelos adversários, e que gerou muita expectativa no cenário nacional.

Como já mostrou personalidade e assimilação dos conceitos do futebol moderno essa parada provavelmente foi crucial para que o mesmo descansasse o que não fez no período das férias. Assim, nessa volta aos treinos, com a saída de Douglas Augusto vai assumir a função com a confiança do Técnico Roger e creio eu que tem tudo pra voltar a atuar no alto nível em que surgiu e trazer bons frutos nessa reta final de Copa do Brasil e no restante do Brasileirão.

Ramires provavelmente vai ter mais liberdade para flutuar entre as linhas de meio campo, com maior aproximação com os atacantes, fazendo um jogo mais perto de suas características, o que pode ser uma boa, observado que terá mais espaço para municiar o ataque e ser mais incisivo mais finalizador.

Enfim, por representar o clube como o único jogador oriundo da base nessa decisão, aposto minhas fichas numa atuação de destaque do garoto, que já mostrou não temer a pressão dos jogos e que entre com a confiança da nação, com nosso axé recheado de energias positivas para ele e toda a equipe no passo a passo rumaremos ao titulo da Copa do Brasil, pois o sucesso do Jogador da base é o sucesso do clube.

BBMP!

Diego Campos, torcedor do Bahia, amigo e colaborador do Futebol Bahiano.

Deixe seu comentário

2 Comentário

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*