Copa do Brasil: Bahia encara um adversário difícil, mas não imbatível

Hoje à noite tem Grêmio e Bahia pelas quartas da Copa do Brasil

Ainda bem que a Copinha insossa de futebol, e de salgados ingressos, para maioria da população brasileira, foi-se, sem deixar a mínima saudade nas minhas sexagenárias retinas. Para falar a verdade, nem ao menos assistir um jogo completo sequer, não levei fé, em uma Seleção que não pertence ao povo brasileiro. E sim a meia dúzia de cartolas, sem nenhuma moral ou ética para dirigi-la, assim como infelizmente, dirigem os desatinos do futebol brasileiro “pari passu” à espanholização, tá aí Flamengo e Palmeiras, que não me deixa mentir!

 

E neste contexto, que ao nosso Bahêa e demais agremiações só a força, o amor, a paixão racional, a associação em massa, a busca de recursos extracampo, iniciativas de vanguarda, poderá nos redimir, nos salvar desse quase inevitável destino, que tem a “Rede Glopista”, como artífices, de mais um golpe global na paixão nacional!

Mas isso é um tema para outra ocasião! A questão premente, remete aos Pampas! Se eles se vestem de bombacha, nós de puro linho de couro, para enfrentarem os espinhos da lida e da vida! E o futebol imita ambas! Vamos à luta esquadrão! Pois…

Ainda bem que hoje tem a nossa Seleção nos gramados gelados do Sul, em busca de um resultado não fortuito, e sim pragmático, pensado, jogado de corpo e alma e, diante de um adversário difícil, mas não imbatível! E se assim Deus, nos permitir, nos garantirá, vislumbrar uma pontinha de esperança, de que quem sabe, sonhar de que poderemos chegar além dos Pampas…

Ainda bem que nasce em meu coração, na minha a alma a chama viva da esperança, de quem sabe, antes de deixar esta existência, poder ver de novo um Bahêa melhor entre todos, os outros vices, da vida! Seria uma dádiva dos deuses do futebol! Na mão, nos pés, na cabeça, nas pernas e peitos dos nossos guerreiros, depositamos, como sempre nossa irrestrita vibração, pra cima deles esquadrão!

Ainda bem que quarta-feira, que vem, o adágio popular, de que “Santo de casa não faz milagre”, poderá de fato, mais uma vez se confirmar. Refiro-me ao Roger Machado, que é de lá, mas quis o destino, como é sabido estar em nossas plagas, e poderá não só fazer proceder, o ditado como de lambuja executar a tal lei do ex, trazer um excelente resultado!

Ainda bem que em nosso mais belo hino entre os demais dos outros times, há uma estrofe que nos comove: “Ninguém nos vence em vibração. Vamos avante esquadrão.” É emanado pela força dessas palavras sagradas, abençoadas pelo Senhor do Bonfim, que me dirijo aos nossos guerreiros tricolores, de chuteiras, meões, calções e manto azul, vermelho branco, joguem nesta partida e nas demais como se fossem o último jogo de suas vidas!

Sejam todos em campo um Biriba, “a elegância sutil do Bobô”, e de todos os demais heróis tricolores, de 59 e 88, bem como dos outros atletas vencedores de tantas outras dezenas de títulos mais, que estão para sempre na história do clube e de nossas vidas, a hora é essa de elencar a lista dos eternos ídolos, de entrarem para sempre nos corações de milhares de torcedores tricolores. E jamais saírem por sucessivas gerações!

Ainda bem que nesta quarta-feira, veremos vocês em ação, fazendo valer, fazendo acontecer, aquecidos do frio dos Pampas, pelo calor humano espargido dos nossas dos lares e almas. Acreditem vocês não estarão sozinhos, “longe é um lugar que não existe”, para a força onipresente dos nossos pensamentos e vibrações benfazejas…

Desse modo, não esqueçam, que ainda bem que ninguém mesmo: “Ninguém nos vence em vibração. Vamos avante esquadrão.”

Lázaro Sampaio, torcedor do Bahia, amigo e colaborador do Futebol Bahiano.

 

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*