“Não temos nada a perder. Se o Bahia for campeão, deu a lógica”, diz Barbosinha

"Somos franco-atirador e vamos jogar sem o peso", disse

Neste domingo, a bola rola pelos primeiros 90 minutos da final do Campeonato Baiano. Buscando o bicampeonato, o Bahia de Feira recebe às 16h no Estádio Joia da Princesa o Esporte Clube Bahia, dono de 47 taças. Em entrevista ao Bahia Notícias, o técnico Quintino Barbosa voltou a afirmar que o favoritismo é todo do time da capital e que o Tremendão não tem nada a perder já que, para ele, a lógica é o Bahia ser campeão, enquanto a equipe feirense é visto por ele como um franco-atirador.

“O favoritismo é todo do Bahia, não temos nada a perder. Se o Bahia for campeão, deu a lógica. Se ganharmos o título do Bahia a contestação será toda deles. É um jogo no qual somos franco-atirador e vamos jogar sem o peso. É uma diferença entre ter que ser campeão e poder ser campeão”, disse Barbosinha.

 

Questionado sobre a mudança no local da partida da Arena Cajueiro para o Joia da Princesa, já que o regulamento não permite estádios com a capacidade para menos de 4.000 pessoas mandar uma final, Barbosinha lamentou, afinal, segundo ele, se tiver 14 mil torcedores, 12 mil serão do Bahia.

“A mudança de campo não influencia só na questão do gramado, mas influencia no público. Se tivermos 14 mil, 12 mil serão do Bahia. O Bahia de Feira tem que ser exímio em tudo, é da história do clube ser educado. A Federação nunca nos pediu para mudar o mando, nós tomamos o primeiro passo e achamos por bem transferirmos para o Joia, por ser mais seguro para os torcedores”, explicou Barbosa.

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*