Derrota do Vitória aumenta pressão para antecipação das eleições

Técnico do Vitória garante que não entrega o cargo

O Esporte Clube Vitória fracassou de novo, agora perdendo para o Botafogo da Paraíba pela Copa do Nordeste pelo placar de 3 x 1 depois de realizar uma NOVA péssima partida. Tudo isto, quase na véspera do BA-VI que pode definir a classificação do clube em primeiro lugar que significa atuar dentro de casa nos jogos decisivos na sequência do Campeonato promovido pela Federação Baiana de Futebol.

Após o fracasso em entrevista coletiva publicada pelo site Globo Esporte, o técnico Marcelo Chamusca mostrou-se tranquilo e de cara garantiu que não entrega o boné e assim continua no comando técnico do Leão  até segundo ordem como se dizia em outros tempos. O técnico extremamente desgastado pelos resultados, analisou o que foi a partida e aponta para os números para fazer acreditar que o Vitória foi superior ao adversário paraibano.

“O jogo, diferente da semana passada, tivemos performance. O jogo de hoje, após analisar os números, o resultado foi o pior possível, até por jogar dentro de casa. Sentimento igual ao nosso torcedor, que tem razão de reclamar. Temos que colocar que fomos superiores ao nosso adversário em relação aos números. Finalizamos 17 vezes, 65% de posse de bola contra 35%. Principalmente no segundo tempo, eles aproveitaram dois erros de saídas, acho que até o momento do gol a gente tinha criado mais, o domínio era nosso. A partir do gol, a equipe passa por um momento complicado, acabou se desestabilizando. Voltamos, mas não foi bem. Na semana passada, fizemos um jogo sofrível, mas hoje não fizemos o jogo sofrível. Se tivesse justiça no futebol, não sairíamos com o resultado de 3 a 1. Jogamos mais, tivemos mais a bola. O adversário foi eficiente, soube jogar no nosso erro”

Sobre o BA-Vi do próximo Domingo, o técnico prevê dificuldades pela falta de tempo para recuperar o grupo emocionalmente até a partida.

“O maior trabalho que nós temos é essa reversão do estado emocional dos jogadores. Amanhã já é sexta, o jogo é domingo, não temos tempo. É tentar reverter esse quadro, que não é fácil. Não depende só de nós. O entorno acaba interferindo nesse resgaste, nessa reversão. Seria interessante que a gente tivesse o controle da porta para fora, mas isso não existe”



Turbulência nos Bastidores.

Outro que se pronunciou após o jogo foi o presidente do Conselho Deliberativo do Vitória, Robinson Almeida que revelou uma reunião marcada para o próximo dia 15, cuja pauta prioritária é a discussão pela antecipação das eleições.

“Convocamos reunião para semana que vem, sexta-feira, que vamos tratar de assuntos referentes a essa crise e soluções. Creio que a proposta melhor seria a antecipação das eleições, que estão marcadas para setembro deste ano. Mas creio que, se não retomarmos estabilidade institucional do clube e mudarmos gestão, não vamos conseguir mudar essa situação”, disse Robinson à uma emissora de radio logo após a partida.

Mudança sem renúncia

O vice-presidente do rubro-negro, Chico Salles também se fez presente e revelou  que vai buscar, de maneira pacífica, um acordo para antecipação das eleições do clube.

“Um processo, tentativa de antecipação geral. Precisamos procurar fazer um processo de transição de forma negociada. Mais uma renúncia, pura e exclusiva do presidente do Conselho Diretor e do vice, você torna o clube mais instável. Havendo renúncia agora, haverá eleição para completar esse mandato. O que estamos defendendo é fazer algo diferente, pacificado. Estamos conversando com todos os grupos de oposição para tentar antecipar as eleições ouvindo o clamor da torcida. Só que isso de forma pacífica, para dar tempo para as chapas se formarem “

 

 

Veja também

Deixe seu comentário

2 Trackbacks / Pingbacks

  1. kouponkabla.com
  2. รับทำเว็บไซต์

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*