Bahia lança campanha de restauração de troféus com ajuda do torcedor

o torcedor tem 3 opções de doações (R$ 20, R$ 50 e R$ 100)

A duas maiores conquistas do Esporte Clube Bahia, que também motivam uma música bastante entoada pela torcida nas arquibancadas, são os títulos da Taça Brasil de 1959 e do Brasileiro de 1988. E se uma antiga gestão no ano de 2013, chegou a colocar as taças dos dois títulos nacionais num saco preto, empoeiradas e com sinais de ferrugem em sala sem uso do edifício Mundo Plaza, tratando os mesmos como “LIXO”, a atual diretoria trabalha para preservar a memória do clube, pela primeira vez em seus quase 90 anos.

Através do seu site oficial, o Esporte Clube Bahia lançou a campanha de restauração não só das taças de 59 e 88, mas dos 14 mais importantes troféus do clube, com a ajuda do torcedor. O próximo grande passo será a construção do museu tricolor na Fonte Nova. A partir de sexta-feira (7), a Nação está convocada a participar da campanha em parceria com a Kickante, maior plataforma de financiamento coletivo do Brasil. VEJA AQUI.

Ainda em fevereiro, criamos o BBMPédia, seção que divulga diariamente todos os jogos, números e curiosidades do clube. Em paralelo a isso, passamos a visitar museus e acervos para sistematizar um banco de dados com as estatísticas oficiais do Tricolor – algo inédito até então.

Agora, estamos lançando o que se chama de “crowdfunding”, com a possibilidade de contribuições financeiras e também o sentimento de pertencimento da torcida em relação ao projeto.



“Durante a pré-produção do nosso museu, nos deparamos com a absurda situação em que se encontram os nossos troféus. Percebemos que, historicamente, eles não foram cuidados de modo adequado pelas administrações antigas do clube. Procuramos empresas especializadas em restauração e selecionamos nossas 14 taças mais importantes para serem recuperadas ou replicadas. O valor total seria de aproximadamente R$ 100 mil”, explica Luiz Teles, coordenador do programa.

Dentre as taças estão as réplicas do troféu do Torneio Início de 1931 (o primeiro da história do Esquadrão) e da Taça Brasil de 1959, hoje exposta no museu do Santos, primeiro time a conquistá-la em três ocasiões.

Na campanha, o torcedor tem três opções de doações (R$ 20, R$ 50 e R$ 100), com premiações variadas. Os pagamentos podem ser feitos por boleto ou cartão de crédito e divididos em até seis vezes.

O projeto ‘Memória de Aço’ visa a construção, organização e manutenção da história do clube, de maneira permanente, e é visto como parte fundamental do processo de democratização e modernização do clube.

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*