Vitória de Carpegiani: Quem comeu, comeu, quem não comeu, não come mais

O Esporte Clube Vitória após a chegada e presença de Paulo César Carpegiani, tomou vergonha, virou homem e vem se recuperando pouco a pouco no Campeonato Brasileiro, já aplicou um VEDACIT naquela torneira que jorrava derrotas e goleadas contundentes depondo contra a saúde moral do clube, além de colocar em dúvida a continuidade do Leão na primeira divisão. Agora não, quem comeu, comeu, que não comeu, não come mais. Acabou a moleza.

Hoje mesmo tivemos uma prova disso com a atuação consistente diante do Fluminense conquistando um ponto importante fora de casa jogando com tranquilidade defensiva, é claro, faltou um pouco de maturidade e agressividade no setor de ataque, problemas apontados pelo treinador na entrevista coletiva.

Muito do avanço podemos creditar à experiência do técnico gaúcho que operou milagre semelhante no ano passado quando pegou o rival local (Bahia) largando os pedaços e lhe ofereceu uma das vagas para a Copa Sul-Americana, torneio que ainda disputa. No final do ano, a direção do outro lado, optou por fazer retornar o insosso Guto Ferreira, hoje com lama até os joelhos na zona de rebaixamento com a Chapecoense, que se diga, sempre balançou, e agora dá indícios que cai.

Domingo, contra o Vasco da Gama, será o dia do total restabelecimento do Esporte Clube Vitória. Será dia da reafirmação. Dia de apanhar um rumo, pegar um prumo e caminhar em direção de uma posição digna das nossas tradições.



Tem tudo para vencer os cariocas que hoje à noite ao perder para o América-MG acumulou sua terceira derrota consecutiva e o seu novo cientista ‘transvertido’ de técnico, continua sem marcar um único ponto do Campeonato Brasileiro. Seguramente não será contra o Leão e o poder do seu torcedor que o Vasco que não venceu qualquer adversário no atual certame irá se recuperar.

Obtendo os três pontos, como esperamos e, sobretudo, acreditamos, o Leão chega aos 29 pontos, se instala confortavelmente no meio da tabela e reassume assim a condição de maior e melhor representante do futebol da Bahia, algo que semanas atrás era considerada como impensável para alegria efêmera dos torcedores adversários.

Ricardo Malhado, rubro-negro e amigo do Site Futebol Bahiano.

Deixe seu comentário