“O árbitro claramente veio de sacanagem”, dispara presidente do Bahia

Foto: Felipe Oliveira / ECB

O presidente do Esporte Clube Bahia ‘soltou os cachorros’ na arbitragem, em especial ao árbitro cearense Luiz César de Oliveira Magalhães, após derrota do Bahia para o Sampaio Corrêa, por 1 x 0, na noite desta quarta-feira (04), no Castelão, em São Luís do Maranhão. Em entrevista à Rádio Metrópole FM, o mandatário não poupou críticas e afirmou que o juiz estava “de sacanagem”. O lance mais polêmico da partida foi o impedimento inexistente de Nino Paraíba no último lance do jogo que terminaria com o gol de Vinícius.

“A gente jogou abaixo do que a gente podia. Está nítido, poderíamos ter rendido muito mais. O time sentiu o gol no primeiro minuto. Não poderíamos ter sentido o primeiro gol como sentimos. Mas separado desse fato, o árbitro claramente veio de sacanagem, para mim está muito claro. Não só pelas faltas invertidas, o pênalti ou pelos impedimentos. Duas vezes a maca entrou em campo e saiu vazia, com o jogador andando, sem tomar cartão amarelo. Foram quatro minutos de acréscimo no segundo tempo. Não estou aqui para ficar reclamando, mas quando a coisa é muito intensa, não tenho dúvida de que o que aconteceu aqui me pareceu uma coisa direcionada contra o Bahia”, disparou.



Para levantar a taça, o Esquadrão precisará vencer por dois gols de diferença ou devolver o mesmo placar para levar a decisão para os pênaltis. Lembrando que na Copa do Nordeste existe ainda o gol qualificado, ou seja, se tomar um gol, precisará fazer três. A equipe maranhense joga pelo empate para conquista o título inédito da Lampions League. O segundo, decisivo e derradeiro confronto será no sábado, às 17h45, na Arena Fonte Nova, com promessa de casa cheia empurrando o Tricolor na busca pelo tetracampeonato do Nordestão.

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*