Bahia demonstra insatisfação com os árbitros do jogo contra o Palmeiras pela Copa do Brasil

O Bahia terá nesta quinta-feira um duelo decisivo contra o Palmeiras, agora pelas quartas de final da Copa do Brasil na Arena Fonte Nova. O jogo terá pela primeira vez o uso do recurso do árbitro de vídeo após o sucesso na Copa do Mundo. No jogo Bahia x Palmeiras o juiz da novidade será o gaúcho Leandro Pedro Vuaden, enquanto, o também gaúcho Anderson Daronco será o juiz tradicional. Curiosamente ambos tiveram papel decisivo e negativo contra o Bahia nos dois jogos contra o Vitória no Campeonato Baiano de 2016, vencido pelo Leão.

Por isto, o presidente Guilherme Bellintani, não escondeu a insatisfação pelas escalações dos árbitros.

“Para mim, a vinda do VAR vem com uma surpresa com os dois árbitros que entraram para a história do Bahia. Não tenho lembrança de outros árbitros que marcaram tanto a história do Esporte Clube Bahia como essa dupla. O campeonato de 2016 a gente entende que, sob o ponto de vista de conceito do futebol, aquele título era nosso. Acontece que esses dois senhores tiraram o título de 2016 agressivamente. Uma coisa que dói e machuca o torcedor até hoje”, disse o presidente na zona mista após o empate por 2 a 2 com o Atlético-MG, na última segunda.



“Uma notícia boa, que é a vinda do VAR, é envolvida de muita dúvida a partir do momento que esses dois senhores venham apitar a partida de quinta-feira. Espero que tenham aprendido muito com os fatos de 2016”, acrescentou Guilherme Bellintani.

“A vinda do VAR é positiva. O Bahia é um dos poucos clubes que votaram pelo VAR ainda no Campeonato Brasileiro, ainda a um custo alto para os clubes. Cada clube deveria desembolsar cerca de R$ 1 milhão. Mesmo com o orçamento muito pequeno que temos nós fomos a favor”, recorda.

“Os campeonatos que passamos mostram que tínhamos razão. É óbvio o que estamos vendo, seja no pênalti contra a Chapecoense lá em cima de Gilberto, que o próprio árbitro reconheceu como falha. Tivemos hoje falhas absurdas, com um pênalti que foi uma mão muito clara e diversas inversões de falta. Vendo o nível da arbitragem brasileira, para mim está perto do fundo do poço”, completou em entrevista ao site UOL

]

Deixe seu comentário