Atlético Mineiro compra, MAS não paga. FIFA proíbe novos registros

Comprou e não pagou, MAS compra mais. Este foi o recado dado pela FIFA ao Atlético-MG, clube mineiro que sempre carregou a fama de bom pagador e estruturado financeiramente. O galo deve ao clube Huachipato (CHI) cerca de de 600 mil euros (cerca de R$ 2,7 milhões) com o Huachipato (CHI) referente a compra do venezuelano Otero e até então não liquidado. Por isto, a FIFA determinou que o clube brasileiro estará proibido de contratar atletas na próxima janela de transferência se o pagamento não foi feito até o dia 11 de agosto.



O jogador chegou inicialmente através da modalidade de empréstimo. Agradou, e o Galo optou por exercer a preferência de compra de 50% dos direitos do jogador por 800 mil euros. No acordo entre os clubes ficou definido que o valor deveria ser pago em duas parcelas de 400 mil, sendo a primeira para agosto de 2017 e a última em janeiro de 2018. Porém, o Atlético-MG pagou apenas a metade da primeira parcela. Os chilenos, apelaram para a FIFA que acabou as reclamação já que o comprador, não pagou o que deve e ainda repassou o jogador por empréstimo árabe cerca de R$ 21 milhões.

O clube mineiro desta quinta-feira, através de nota, garante que vai recorrer da decisão da Fifa. O Galo vai entrar com um recurso na Corte Arbitral do Esporte (CAS). O Atlético tem 21 dias para recorrer. A previsão é que o recurso seja julgado no período de 60 dias. Embora entre com essa ação, o clube reconhece a dívida, mas diz que está negociando com o Huachipato.

Deixe seu comentário