Esse tropeço do Bahia pode ser creditado na conta do Sr. Guto e Kayke

Foto: Felipe Oliveira / ECB

Sempre defendi a paciência, tempo de trabalho do treinador, etc. Mas ontem  (13), podemos creditar o tropeço ao Guto Ferreira, juntamente com Kayke. Primeiro um time apático, respeitando um São Paulo que não tem nada, e que só não produziu muito mais, devido a falta de qualidade do próprio São Paulo, já que campo o Bahia deu.

Achou um gol de pênalti e depois outro com Edigar em que ambos momentos o São Paulo jogava “Melhor”. Segundo tempo, o time que já era fraco, apático jogando atrás é que pouco se arriscava, começou a demonstrar sinais de cansaço, aí o Sr. Guto Ferreira, resolveu dar o seu show pessoal, que iniciou-se quando resolveu deixar Nino no banco, maior responsável pelas investidas do Bahia em casa, colocando João Pedro, que fez apenas uma partida que preste até agora, já que a de estreia foi aceitável.

Mas até aí tudo bem, talvez estivesse preservando Nino. Então Gordiola dá o ar da graça, tira um ponta, Élber, e me coloca um lateral. Tendo um jogador da posição, ele me coloca Mena, que não sabe jogar nem em sua posição de origem, imagine como ponta/meia-atacante. Coloca Régis, que já entrou cansado, e para completar (e piorar) coloca Kayke, que das diversas oportunidades pouco fez, e hoje não foi diferente. Continue lendo abaixo.



O Bahia acuado e com medo como em todo o jogo achou um contei ataque Régis e mais dois contra um zagueiro, Régis leva para lá e pra cá até se atrapalhar e perder a bola. Depois mais um contra-ataque, mais uma vez Régis segurou muito, ,as ainda assim deu a bola para Kayke, fazer o que faz de melhor… NADA. Bateu em cima do goleiro.

O lance se repetiu mais duas vezes, uma delas Kayke ciscou para lá e para cá e perdeu, e na outra bateu em cima do goleiro. No contra-ataque Shaylon bate do meio e faz o que Kayke não fez em baixo da trave. Um time horroroso, Régis ataca e junto com Mena fica atrás, vendo o time tomar pressão, simplesmente não voltam pra marcar, mesmo sendo os mais descansados, enquanto Zé Rafael, que correu o jogo todo, roubou 5 bolas, ainda corria e tentava, sozinho naquele meio-campo que nada produzia, nada marcava e pouco fazia.

Não sou extremista, Mas essa “DERROTA” DE HOJE PODE SER CREDITADA NA CONTA DE GUTO, e Kayke.

Mateus Vinicius, torcedor do Bahia, amigo e colaborador do Futebol Bahiano.

Deixe seu comentário