Guto Ferreira defende trabalho no Bahia e avisa “Eu não me demitiria”

Os cinco gols marcados pelo Bahia sobre o Altos não foram suficientes para calar os gritos de protesto do torcedor tricolor, mesmo após o fim da partida, entoando o coro de “Adeus, Guto” e “Fora, Guto” desde os primeiros minutos do jogo. Acostumado com as críticas, o treinador defendeu seu trabalho e ao ser questionado se o manteria no cargo caso fosse o diretor de futebol, Guto foi enfático: “Eu não me demitiria e acredito naquilo que estamos fazendo”.

“Vou sempre respeitar o torcedor. Falei quando cheguei aqui e vou seguir na mesma linha. Ele tem o direito de reclamar e se manifestar. A ele todo meu respeito. Posso sair chateado, mas não tenho direito de reclamar de nada. Eu não me demitiria e acredito naquilo que estamos fazendo. Vamos seguir tendo dificuldades, mas vamos seguir superando essas dificuldades. Tenho condições de tirar o melhor dessa equipe”, disse.

Já sobre o jogo, o comandante admitiu a atuação ruim no primeiro tempo, mas destacou a mudança de postura no segundo. Ele também lamentou as falhas do sistema defensivo, que mais uma vez foi vazado em uma partida.

“Foi sofrível (o primeiro tempo). Começamos mal o jogo. Às vezes você começa mal e não consegue pegar o time do jogo. Quando acabou o primeiro tempo, conseguimos tranquilizar os jogadores e o time voltou com outra postura. Vacilamos ainda duas vezes, mas tivemos força para recuperar a situação. Graças a Deus terminou tudo bem. Hoje até fizemos mais gols do que levamos, mas não podemos estar levando gols assim. Nossa defesa, mesmo tomando gol todo jogo, não vinha tomando dois. Hoje tomou dois gols, então piorou”, disse.

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*